SOCIAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Trabalhadores do Instituto nacional de Meteorologia e Geofísica marcam nova greve de 48 horas 08 Fevereiro 2020

Dando seguimento à luta reivindicativa que vêm travando, há já algum tempo, visando a dignificação da sua carreia, os trabalhadores do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INMG) entregaram, através do Sindicato dos Transportes, Comunicações e Administração Pública (SINTCAP) esta sexta-feira, 07, à Administração na Ilha do Sal, um novo pré-aviso de greve para os dias 19 e 20 deste mês.

Trabalhadores do Instituto nacional de Meteorologia e Geofísica marcam nova greve de 48 horas

Recorde-se que em Janeiro passado, esses trabalhadores iniciaram uma greve de dois dias, essa que foi interrompida pela Requisição civil, decretada pelo Governo, “de forma abusiva, atropelando grosseiramente o direito desses trabalhadores, obrigando-os a trabalhar no período que deveria decorrer a greve”.

O descongelamento de carreiras, a reposição do prémio de produtividade, referente aos anos de 2018 e 2019, melhores condições de trabalho, são algumas das reivindicações desses trabalhadores, que, conforme o SINTCAP, tudo se têm feito, para, através do diálogo e da concertação, virem solucionados seus problemas, sem sucessos.De acordo com o sindicato que os representa, as várias rondas negociais têm-se redundado em total fracasso, com a Administração e o Governo a mostrarem-se “irredutíveis e intransigentes”, não obstante reconhecerem que a questão de carreiras é prioritária.

Os trabalhadores insistem ainda, em remeter a solução das carreiras para um novo PCCS, um instrumento que sequer conseguiram apresentar, até agora, uma proposta para análise discussão e implementação.

Conforme o documento enviado a este diário digital, os trabalhadores do INMG estão, há doze anos, sem promoções, progressões e reclassificações, segundo
preconiza o seu PCCS em vigor, sem esquecer no congelamento dos salários durante o mesmo período de tempo.

“Como forma de piorar tudo isso, a actual Administração decide, de forma unilateral, sem razões aceitáveis, reduzir o prémio de produtividade de 2018 em 45% e não atribuir nenhum tostão em 2020 aos trabalhadores”, diz o SINTCAP em comunicado.

Assim sendo e, forçados a partir para a greve, como única forma de fazer valer os seus direitos, os trabalhadores decidiram marcar esta nova greve de 48 horas, com início no dia 19 deste mês.

É salientar que a greve acontece ao nível nacional, afectará todos os serviços e todas as actividades exercidas pelo INMG e, abrange todas as categorias profissionais. Durante esta jornada de luta, os trabalhadores serão representados pelo SINTCAP do Sal e SINTAP da ilha de São Vicente, todos da família da UNTC-CS.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project