AMBIENTE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Seca: Governo vai disponibilizar cerca de 600 mil contos para atenuação dos efeitos do mau ano agrícola 18 Novembro 2018

O ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, acaba de anunciar que o Governo vai disponibilizar cerca de 600 mil contos para atenuação dos efeitos de mais um mau ano agrícola em Cabo Verde.

Seca: Governo vai disponibilizar cerca de 600 mil contos para atenuação dos efeitos do mau ano agrícola

O arquipélago, ultimamente, tem sido fustigado pela seca e, este ano, por ter chovido pouco, o Governo decidiu complementar o Plano de Urgência de Mitigação do mau ano agrícola com o Plano Estratégico de Resiliência.

Segundo o ministro citado pela Inforpress, que falava, esta sexta-feira,16, aos jornalistas à margem da VIIIª reunião ordinária do Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, este ano os resultados do ano agrícola “não são bons”, porque houve uma “má produção” de milho e de feijões.

Em relação a produção de pasto, prosseguiu, houve uma “melhoria considerável”, excepto em algumas ilhas ou regiões que choveu pouco.

“Por exemplo, na Ilha de Santiago, as zonas periféricas, e em Santo Antão, as zonas pastorícias estão numa situação pior, assim como a ilha da Boa Vista, as ilhas rasas de modo geral, têm problemas, o Maio produziu melhor o pasto do que no ano passado, mas ainda continua bastante deficitária, se consideramos as necessidades em termos de consumo” informou.

No que concerne a recarga de água, disse que as ilhas estão “muito aquém do normal”, uma vez que anualmente estima-se cerca de 500 metros cúbicos de água por habitante, mas este ano está à volta de um terço deste valor.

A nível das águas superficiais, ou seja, água retida nas barragens, indicou, a situação “não é boa”, o que significa que as barragens não vão ter água para um consumo superior a três ou quatro meses.

Para mitigar esses efeitos, Gilberto Silva assegurou que o Governo vai apostar nas medidas de resiliência e para isso vão assinar um acordo com a Hungria.

“Já estamos a ultimar o acordo com a Hungria para o financiamento de projectos técnicos que tem que ver com a dessalinização das águas salobras e a reutilização das águas residuais tratadas de forma segura e tudo isto vai ajudar a mitigar esses efeitos”, frisou.

Com este Plano Estratégico de Resiliência, anunciou, vão disponibilizar cerca de 600 mil contos para a implementação de projectos relacionados com melhoria da situação alimentar dos animais, gestão da escassez da água e ainda a continuidade em alguns concelhos com medidas que impulsionam o trabalho público, refere a Inforpress.

Os artigos mais recentes

25 Apr. 2019
RADAR
Favelas para todos?

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project