NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Santo Antão: Seca piora na zona Sul do Porto Novo com criadores em dificuldades para salvar os seus animais 01 Abril 2018

Os 30 criadores de gado na zona Sul do Porto Novo, Santo Antão, estão com “sérias dificuldades” para salvar seus animais, numa altura em que os efeitos da seca agudizam-se nessa localidade, cuja população vive, basicamente, da pecuária.

Santo Antão: Seca piora na zona Sul do Porto Novo com criadores em dificuldades para salvar os seus animais

Conforme os criadores locais citados pela Inforpress, as dificuldades para salvar os animais têm aumentado de dia para dia, com o aumento dos efeitos da seca, estando os criadores com “sérios problemas” para conseguir a ração para o gado, devido à falta de rendimentos.

Irineu da Luz, representante dos criadores, confirmou à Inforpress que, “praticamente, todos os criadores não têm conseguido comprar a ração”, por dificuldades financeiras.

“Mesmo com os descontos dos 300 escudos ‘20%’, não temos conseguido comprar a ração, porque as dificuldades são cada vez maiores”, sublinhou este criador, informando que, ao contrário de criadores em outras zonas do concelho, os da zona Sul não beneficiam de apoios de transporte.

Para a mesma fonte, os pastores da zona Sul do Porto Novo clamam, por isso, pela atenção do Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) para que possa salvar ainda o que resta do seu efectivo.

No caso dos criadores das zonas Norte e Leste do Porto Novo, a edilidade local, em parceria com o MAA, tem estado a apoiá-los com transportes de ração.

Também, na zona Norte, onde existe um importante efectivo pecuário, apesar dos apoios em transporte, há muitos criadores com dificuldades, nesta altura, para comprar a ração, devido à falta de rendimentos.

Prposta para reforço das verbas

Porto Novo, cujo sub-programa de salvamento do gado, a cargo dos serviços locais do MAA, estima-se em 20 mil contos, dispõe, nesta altura, de um efectivo pecuário à volta das 24 mil cabeças de gado.

Diz a Inforpress que as autoridades porto-novenses vão, por isso, pedir ao Governo o reforço das verbas no quadro do programa de mitigação dos efeitos do mau ano agrícola no Porto Novo, devido ao “grande impacto “que a seca está a ter neste concelho.

A câmara do Porto Novo defende, nesta altura, o reforço das verbas para poder, nos próximos meses, socorrer “centenas de famílias” em situação de vulnerabilidade, sobretudo nos Planaltos Norte e Leste.

Já em Fevereiro, numa primeira avaliação do programa de mitigação da seca no Porto Novo, o edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, tinha alertado para a necessidade de o Governo reforçar as verbas para garantir a sobrevivência das populações nas zonas mais afectadas pela seca, conclui a inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project