INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Reino Unido: Terrorismo independentista do ’Novo IRA’ causa morte de jornalista — Tribunal solta 2 suspeitos sob fiança 17 Setembro 2021

Mais de dois anos após a morte da jornalista Lyra Mckee, de 29 anos, dois homens, de 33 e 21 anos, com ligação ao "Novo IRA" foram hoje (6ªfª, 17) apresentados em tribunal como suspeitos. Mas para indignação dos familiares enlutados, o tribunal aceitou o ’habeas corpus’ e os dois suspeitos vão responder em liberdade.

 Reino Unido: Terrorismo independentista do ’Novo IRA’ causa morte de jornalista — Tribunal solta 2 suspeitos sob fiança

No julgamento por videoconferência no tribunal de Londonderry, os suspeitos Gearoid Cavanagh, de 33 anos, e Jordan Devine, de 21 anos, foram confrontados com provas de que se tinham encontrado com o atirador no dia em que a jornalista de 29 anos foi baleada mortalmente em 18 de abril de 2019, no bairro católico de Creggan, na cidade próxima da fronteira irlandesa.

Segundo a acusação, Gearoid Cavanagh conduziu o atirador até ao local de onde ele começou a disparar por volta das onze da noite. Jordan Devine ficou junto dele a incentivá-lo a disparar e no fim ajudou-o a carregar o armamento.

Mas os advogados da defesa levaram a melhor, ao contraporem que não era fiável a identificação dos dois suspeitos através de imagens de videovigilância.

Quem atirou e matou?

Segundo a investigação, o autor do homicídio foi Paul McIntyre na casa dos 50 anos e detido em fevereiro de 2020. Mas o advogado do quinquagenário conseguiu manter o seu cliente fora da prisão com o argumento de que não foi ele a atirar, que só recolheu a bala ligada ao homicídio.

A arma do crime só foi encontrada em junho de 2020. No mês seguinte, um homem de 27 anos foi acusado de delitos relacionados com o porte e uso de armas.

’Novo IRA’ reivindica

Em declarações ao diário The Irish News, o grupo dissidente republicano ’Novo IRA’ assumiu ser responsável pelo atentado que matou a jornalista quando "ela se encontrava junto das forças inimigas" — uma referência à polícia. Por isso, dirigia "as mais sinceras desculpas aos próximos de Lyra McKee".

Vinte anos depois da Páscoa de 1998, que trouxe a pacificação na Irlanda do Norte, foi um choque o que pareceu a muitos o regresso da violência do velho IRA.

A vítima, a jornalista e blogueira Lyra McKee cobria o confronto entre a polícia e elementos do ’Novo IRA’, num bairro de Belfast.

Fontes: BBC/Telegraph/Belfast

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project