RADAR

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Regionalização e suspeitas de compra de consciências –I 11 Abril 2019

Circulam bocas nos corredores do parlamento que o poder tem em curso uma mega operação que alguns leitores do Radar consideram ser uma autêntica limpeza cerebral. É que o MpD quer fazer passar, no Parlamento, esta segunda-feira, a proposta de lei do Governo para a Regionalização Administrativa de Cabo Verde, que foi chumbada na sessão anterior, por falta de consenso em torno de um dos artigos que exigia a maioria qualificada. Um cidadão, supostamente um ventoinha ferrenho, brincava, gozando num café da Capital, que os «homens da UCID já estão comprados». Depois saiu com esta: falta agora a maioria comprar a alma do grupo dos deputados do PAICV, que tinha, na sessão de Março, viabilizado os vários artigos do mesmo diploma durante o debate na especialidade, isto à revelia da estratégia do mesmo partido. Mas, expressando com muito humor, um esquerdista radical avisa que as bases da oposição já estão com pedras em mãos a esperar pelo referido grupo, que deu costa ao partido de Cabral, Pedro Pires e José Maria Neves, viabilizando a proposta da Direita. Nos boka ka sta la!

Regionalização e suspeitas  de compra de consciências –I

Regionalização e suspeitas de compra de consciências –II

Nos bastidores da AN, a má-língua suspeite haver negócios obscuros, com promessas de benesses por parte da maioria no poder a certos eleitos da UCID e elementos do grupo em Deriva no PAICV - suspeita-se ofertas em viagens e cargos em aparelhos do Estado, Regiões e na CEDEAO, etc. Tudo em presumíveis trocas de votos na proposta da Regionalização do Governo sem a reforma do Estado. Por considerar que os deputados são pessoas idóneas e os mandatos são deles, Radar nem quer acreditar nisso. Mas mesmo assim vai ficar «d’ oi na melón!».

Regionalização e suspeitas de compra de consciências –II

Como desabafou um mindelense ao Radar, que os políticos tirem o seu cavalinho da chuva, comprando ou não consciências. Manda um forte recado para quem de direito que a aprovação da lei da Regionalização sem a reforma do Estado - uma exigência da liderança de Janira Hopffer Almada - só vai aumentar os custos do Estado e beneficiar de imediato os boys do MpD, que vai assim distribuir mais cargos aos seus dirigentes e cumprir a promessa da campanha. A hegemonia política vai ser deste modo total – os órgãos da comunicação social públicos (RTC, Inforpress) estão totalmente controlados – com o afastamento de jornalistas veteranos e independentes de programas críticos e noticiários e a redução de espaço regular para os partidos da oposição e as vozes críticas da sociedade civil! O movimento cívico Sokols 2017 já denunciou que esta regionalização não serve ao país. Mas o que fazer? O Radar tem uma receita: o povo tem de contentar com a decisão que o Par(a)lamento venha tomar esta segunda-feira, gostando ou não dela! Depois, chupa-se o limão!

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project