NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Primeiro cabo-verdiano curado de Covid-19 segundo primeiro teste realizado 06 Abril 2020

Segundo o primeiro teste realizado depois de internado no Hospital Agostinho Neto, está curado o primeiro cabo-verdiano infectado com Covid-19, isto fazendo fé no anuncio do Ministério da Saúde de que os resultados da amostra deu negativo. Mas a presidente do Instituto Nacional da Saúde Publica corrigiu, hoje em conferencia de imprensa, que o paciente da Praia só será dado como finalmente curado quando for realizado um segundo teste de despiste com resultado negativo.

Primeiro  cabo-verdiano curado de Covid-19 segundo primeiro teste realizado

Foi o primeiro cidadão cabo-verdiano que teve um resultado positivo do primeiro teste ao exame do vírus letal, como noticiou a autoridade da Saúde. Mas a cura definitiva só será, segundo corrigiu hoje a presidente do Instituto Nacional da Saúde Pública, com a realização de um segundo teste que tem de dar resultados negativos. Contudo, mesmo que esteja curado, o paciente vai ter que permanecer em quarentena domiciliária e sob a vigilância das autoridades sanitárias.

Uma semana antes, esse cidadão — identificado como quadro da Polícia Judiciária, de 43 anos e residente no bairro praiense da Achada São Filipe — tinha regressado de França.

Segundo o ministro Arlindo do Rosário informava há duas semanas, o paciente — que começara por apresentar "um quadro respiratório com tosse e febre" mas "sem falta de ar" — estava a receber "todos os cuidados necessários para evitar novos contágios e promover a sua total recuperação". Entretanto as pessoas de risco estavam em observação, em quarentena domiciliar.

Era o quarto caso positivo de Covid-19 em Cabo Verde, após os três primeiros registados na ilha da Boa Vista, todos estrangeiros. Um deles, um turista inglês, de 62 anos, viria a ser o primeiro caso confirmado de óbito por Covid-19 no país, falecido na noite de 23.


Incumprimento é incívico e até crime

Um pouco por todo o mundo relatam-se casos de pessoas incumpridoras da ordem para ficar em casa. A lei prevê que seja incriminado quem coloca em perigo a vida de outrem.

Cabo Verde dececiona-se com o incivismo da quarentenada, como pudemos constatar em variados meios. Dos social-media aos círculos mais restritos permitidos pelo distanciamento social a que nos obrigamos, a reprovação é geral perante este caso da mulher em quarentena com os filhos por suspeita de coronavírus, dada a proximidade com um dos filhos dos dois únicos cabo-verdianos com teste positivo de Covid-19, no país.

Entre os casos mediatizados de incumprimento está o da russa Alla Ilyina, aqui reportados: (Tribunal mandou Alla Ilyina de volta à quarentena após 11 dias barricada em casa, 19.fev.020; Covid-19: Quarentena compulsiva? Polícia na Rússia persegue Ilyina que fugiu de hospital, 17.fev.020). Mas Ilyina não é a única no país que hoje conta 4.731 casos e 43 óbitos. Na mesma ocasião ocorreu a fuga de uma mãe e filho adulto em isolamento, no mesmo hospital, que saltaram pela janela. Todos os três têm agora queixa em tribunal apresentada pelo hospital, de São Petersburgo.

"Polícia matou mulher que fugiu da quarentena"? Foi muito mediatizado mas é falso (vide: observers.fr). Trata-se do vídeo de um acidente de moto — perto de Wuhan, em que morreu um homem — distribuído desde 4 de fevereiro com esse título, que provou ser um caso de ’fake news’ — punível também.

Em Itália — que hoje conta 128.948 casos e 15.887 óbitos — só na semana finda contava dezoito pessoas, doze das quais estrangeiras, que a polícia apanhou a tentar fugir da Lombardia, a região mais flagelada pelo coronavírus. Entre elas, um homem de 71 anos, que fugiu do hospital num táxi, segundo reportou o La Repubblica na segunda-feira, 30.

Mais recente: em Portugal um indivíduo, de 54 anos, foi detido ontem (sexta-feira, 3) em Espinho, no norte do país, por ter desobedecido à ordem de sair dum jardim público. Foi a exceção negativa quando a polícia abordou um grupo de cinco homens e quatro deles logo acatando a ordem "foram para casa".

Também em Portugal entre sexta e sábado foram detidas oito pessoas por desobediência às regras do estado de emergência.

A irresponsabilidade dessa conduta está a ser reprovada e espera-se que a justiça puna quem tem de ser punido.

Fontes: MS/OMS/Worldometers... Foto (Getty): A ameaça pode chegar através de um espirro, por isso importante é cumprir as normas estabelecidas pelas entidades da Saúde. É simples e básico mas eficaz o proteger-se e aos próximos — espirre para o lenço descartável ou para o cotovelo, lave as mãos com água, sabão e durante 20 segundos.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project