SERÁ NOTÍCIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Presidente do PP acusa Ulisses Correia e Silva de estar supostamente envolvido na corrupção de terrenos na Cidade da Praia 13 Julho 2020

O Presidente do Partido Popular (PP), Amândio Vicente, acusou, este domingo, 12, o Primeiro-ministro, José Ulisses Correia e Silva, de estar supostamente envolvido na corrupção de terrenos, aquando da sua posição enquanto presidente da Câmara Municipal da Praia (CMP).

Presidente do PP acusa Ulisses Correia e Silva de estar supostamente  envolvido na corrupção de terrenos na Cidade da Praia

Amândio Vicente fez esta afirmação à imprensa, à margem da reunião quinzenal do partido, explicando que o atual primeiro-ministro assinou um memorando com o advogado Arnaldo Silva para a venda de terrenos que não pertenciam a autarquia na época, acusando-o de estar presumivelmente envolvido em atos de corrupção, envolvendo terrenos.

“Estamos a dar continuidade aos artigos publicados por Rui Araújo, na qual fala de um memorando assinado por Ulisses Correia e Silva na época em que era o presidente da Câmara Municipal da Praia”, apontou o presidente do PP, citado pela Inforpress.
.
Amândio Vicente referiu que foi a este propósito que se fez a mudança na Procuradoria-Geral da República, porque o antigo Procurador-Geral da República já tinha colocado o “dedo na coisa forte”.

É nesta ótica que o líder do PP chamou a atenção da comunidade internacional, no sentido de estar atenta, visto que a “justiça cabo-verdiana tem dado sinais” de que não está em condições de combater a corrupção em Cabo Verde”, conforme a nossa fonte.

Ainda sobre a gestão dos terrenos, Amândio Vicente fez referência aos artigos publicados (em primeira mão no Asemanaonline) por Rui Araújo, dando conta de “oito folhas arrancadas” na matriz predial da autarquia “forjando Fernando Souza como dono de terrenos”, ressaltando ainda, da invasão ilegal de terrenos em São Martinho Pequeno por um grupo de cidadãos liderados pelos deputados do MpD, Emanuel Barbosa e Isa Costa. “A autarquia entrou com uma acção judicial e foi despachado favoravelmente que a edilidade pode demolir essas construções ilegais”, exprimiu o líder do PP, conforme escreve a Inforpress.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project