ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Preços mundiais de exportação de cereais mantiveram-se variados da semana passada 05 Outubro 2020

De acordo com o último Relatório divulgado pelo Secrtariado Nacional para Segurança Alimentar e Nutricional (SNSAN), os preços mundiais de exportação de cereais (milho, Trigo, arroz e açúcar), mativeram-se variados da semana passada.

Preços mundiais de exportação de cereais mantiveram-se variados da semana passada

Milho em alta

Conforme os recentes dados do SNSAN, os preços mundiais de exportação do milho mantiveram a tendência de alta da semana passada. Nos Estados Unidos, as cotações foram impulsionadas por um novo anúncio de vendas de exportação para destinos desconhecidos, bem como pelas vendas semanais robustas de 2,1 Milões de Toneladas, elevando o total acumulado para 22,6 Milhões de Toneladas.

Na Argentina, devido às condições de seca e à queda esperada na área cultivada, a produção projetada pela Buenos Aires Grain Exchange pode cair 6%, em termos anuais, para 47,0 Milhões de Toneladas. No Brasil, cerca de um quarto do plantio da primeira safra já foi avançado. “Embora as chuvas recentes tenham sido benéficas no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, os solos secos continuaram a ser uma preocupação em partes do Paraná. Os preços locais continuaram com tendência de alta, impulsionados pela oferta restrita e forte procura dos exportadores”, indica o relatório.

Trigo com tendência mista nos preços

Em relação ao trigo, o estudo aponta que os preços mundiais de exportação deste cereal registaram uma tendência mista em relação à semana anterior, sustentada pela incerteza sobre as perspetivas de produção da safra 2020/21 na Argentina e Austrália, bem como pelas condições de plantio desfavoráveis para safras 2021/22 em partes do hemisfério norte.

Nos Estados Unidos, as vendas semanais de exportação de trigo totalizaram 351.200 toneladas, uma queda de 34% em relação à média de quatro semanas, mas com o total acumulado de 13,5 Milhões de Toneladas a representar um aumento de 7% face à temporada anterior.

Na União Europeia, foi relatada a ocorrência de chuvas favoráveis para ao plantio 2021/22 em algumas regiões. Os embarques de trigo aumentaram para 4,6 Milhões de Toneladas, mas ainda corresponde a uma redução de 39% face ao período homólogo da safra passada. Na Argentina, refletindo uma temporada difícil, a Buenos Aires Grain Exchange cortou a sua previsão para a produção de 2020/21 em 4,0MT, para 17,5 Milhões de Toneladas.

Arroz em baixa

Para o arroz, o SNSAN aponta que os preços mundiais de sua exportação mantiveram a tendência de baixa da semana passada. “Na Tailândia, apesar da oferta restrita nas proximidades, o fraco interesse de compra antes das chegadas da safra principal, ditou os preços”.

O ministério do comércio colocou as exportações de Agosto em 356.554 toneladas, 26% abaixo do assinalado na safra anterior. No Vietname, a redução da procura por parte dos operadores económicos continuou a sustentar a queda das cotações de exportação. Nos Estados Unidos, a perspetiva de aumento da disponibilidade pressionou os preços de exportação de arroz.

Açúcar com tendência de alta nos preços

Ainda, de acordo com o mesmo documento, os preços mundiais de exportação do açúcar mantiveram a tendência de alta da semana anterior. No Brasil, o registo de bom ritmo de exportações continuou a influenciar as cotações de exportação de açúcar. Na Índia, foi relatado que as fábricas de cana-de-açúcar em Maharashtra foram incentivadas por uma federação local de açúcar a reduzir a produção de açúcar e se concentrar na produção de etanol. De acordo com o presidente da Federação das Fábricas de Açúcar das Cooperativas do Estado de Maharashtra, essa estratégia pode ajudar as empresas a superar as suas perdas.

Frete marítimo em alta

O estudo realizado pelo SNSAN indica que as taxas de frete para o transporte de graneis sólidos mantiveram a tendência de alta da semana passada. No mercado dos navios Supramax e Handysize, as taxas foram mais firmes devido a maiores atividades na América do Sul e na Bacia do Pacífico, embora as cotações em outros lugares tenham ficado praticamente inalteradas.

“Os ganhos para os navios Capesize foram sustentados principalmente pela procura de minério de ferro da China e pelos negócios no Atlântico. Para o setor dos navios Panamax, o aumento das taxas foi sustentado pelo aumento procura na Europa, principalmente para cargas de minerais do Mar Báltico. Apoio adicional veio de negócios relacionados com grãos e sementes oleaginosas no Golfo dos Estados Unidos”, aponta.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project