POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Péricles Tavares anuncia candidatura às eleições presidenciais 23 Abril 2021

Péricles Tavares anunciou, hoje, a intenção de candidatar às eleições presidenciais de 17 de Outubro de 2021. O candidato afirma estar “preparado” para exercer as funções de mais alto magistrada da nação.

Péricles Tavares anuncia candidatura às eleições presidenciais

Péricles Tavares revelou que a sua decisão foi precedida de alguma reflexão e preparação para apresentar à nação cabo-verdiana uma “plataforma presidencial totalmente diferente”.

Questionado se a sua condição de ter dupla nacionalidade (cabo-verdiana e americana) não constituir empecilho à sua candidatura, garantiu que não, porque, justificou, a nação cabo-verdiana sabe que “sobrevive desde então da emigração”.

“A Constituição permite e não implica que eu não tenha os mesmos direitos que os outros cidadãos e mostra que todos têm os mesmos direitos e deveres”, apontou, mostrando-se “confiante” de que o Tribunal Constitucional vai aprovar a sua candidatura ao cargo de Presidente da República.

“Acredito na justiça e no princípio da igualdade e, se houver uma impugnação, na altura, se verá como vai ser a reacção”, precisou.

Neste momento, conforme revelou, a sua preocupação é o eleitorado e não os partidos políticos, uma vez que a lei magna da República é clara ao garantir que o candidato é proposto por grupos de cidadãos.

Entretanto, considera que qualquer força política é “livre” de apoiar a sua candidatura.

“Todas as organizações da sociedade civil, digamos, são livres de fazer isto [apoiar a sua candidatura]. Só que eu não quero chegar à magistratura superior e estar em cumplicidade com outras forças. Quero ser um Presidente vertical e que olha pela República”, prometeu Péricles Tavares, acrescentando que por isso se apresenta como um “candidato republicano”.

Se for o escolhido do povo, vaticinou será um Presidente “atento e próximo dos cidadãos”.

“Para isso estaria sempre numa presidência aberta nos concelhos e nas câmaras municipais onde vou pedir sempre uma sala para receber as pessoas e saber as suas ansiedades e, depois, ver como ajudar o Governo a resolver certas questões”, afiançou Tavares, para quem a defesa dos interesses do Estado será também seu apanágio.

Perguntado se não receia enfrentar candidatos como José Maria Neves e Carlos Veiga, respondeu nesses termos: “Isto não implica nada. Um bom primeiro-ministro pode ser um mau Presidente da República”.

“Ser Presidente da República não é quem quer. É quem for escolhido pelo povo”, comentou Péricles Tavares.

Vive em Cabo Verde desde 2006 e faz questão de sublinhar que só se ausentou por “razões de subsistência e de conhecimento”.

“Tive que voltar à universidade e preparar-me para poder dar uma contribuição satisfatória e saber o que realmente Cabo Verde necessita”, apontou Péricles tavares, que defende um “debate diferente”, porque o que lhe interessa é “debater ideias”.

Péricles Tavares é licenciado em Ciências Políticas e Relações Internacionais e tem uma longa experiencia da emigração.

Cabo Verde realiza eleições presidenciais em 17 de Outubro de 2021, às quais já não concorre Jorge Carlos Fonseca, que cumpre o segundo mandato como Presidente da República.

Na corrida eleitoral, Péricles Tavares terá pela frente outros candidatos como o ex-primeiro-ministro, Carlos Veiga, (1991 a 2000), e ex-presidente do Movimento para a Democracia (MpD, no poder), o antigo chefe do Governo José Maria Neves (2000 a 2015) e antigo presidente do Partido Africano da Independência de Cabo Verde, o deputado Hélio Sanches, eleito nas listas do MpD, o professor universitário Daniel Medina e o empresário Marcos Rodrigues. Asemana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project