ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

PAICV reitera compromisso de continuar a apoiar o PAIGC na luta para apurar a “verdade das urnas” pelas vias legais 14 Fevereiro 2020

O Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV – oposição) reiterou hoje o compromisso de continuar a apoiar o PAIGC na luta para apurar a “verdade das urnas” pelas vias legais.

PAICV reitera compromisso de continuar a apoiar o PAIGC na luta para apurar a “verdade das urnas” pelas vias legais

A intenção foi manifestada em conferência de imprensa na cidade da Praia, pelo secretário-geral do partido, Julião Varela, para abordar a questão da política externa, designadamente a situação política na Guiné-Bissau.

O dirigente “tambarina” apontou a necessidade de fortalecer o Estado de Direito Democrático como um dos mecanismos para prevenção dos conflitos, assim como a promoção da paz, da segurança e do desenvolvimento.

Por isso, espera que a comunidade internacional deixe as instituições guineenses competentes estabelecerem o apuramento da verdade eleitoral.

“Manifestamos a nossa solidariedade para com o povo da Guiné-Bissau, cujos sacrifícios têm sido importantes para o sucesso da luta comum, sob a direcção do partido de Cabral, para a independência da Guiné-Bissau e Cabo Verde”, sublinhou.

Por outro lado, o PAICV espera que o Governo de Cabo Verde defenda sempre os interesses nacionais de modo a preservar o capital político do país, tem granjeado a nível internacional ao longo da sua história.

Segundo Julião Varela, nesse processo de eleição na Guiné-Bissau terá havido, por parte de Cabo Verde, alguns procedimentos que possam não estar de acordo com a linha política do relacionamento com os outros países.

Julião Varela registou com “satisfação” o facto do Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, após ter felicitado, numa primeira fase, o candidato eleito provisoriamente pela Comissão Eleitoral, ter condicionado a sua participação no acto de tomada de posse, advertindo, numa entrevista à RDP-África, que marcará presença na cerimónia “se tudo correr pela normalidade e a eleição for liquido e reconfirmado”.

“O PAICV interpreta esta nova posição do Presidente da República como o reconhecimento de que ainda os resultados definitivos do pleito eleitoral carecem de uma decisão do Supremo Tribunal”, notou Julião Varela.

O candidato do MADEM-G15, apoiado pela esmagadora maioria dos candidatos derrotados na primeira volta, obteve 53,55% dos votos, contra 46,45% para Domingos Simões Pereira, candidato do PAIGC, partido no poder.

O general Umaro Sissoco Embaló, apoiado pelo Movimento para a Alternância Democrática (Madem-G15), venceu o escrutínio com 53,55% dos votos, enquanto Domingos Simões Pereira conseguiu 46,45%.

O candidato derrotado não aceitou o resultado alegando fraude eleitoral.A Semana com Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project