REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ômicron sugere eficácia vacinal no mapa-múndi — Ainda sem óbitos ao 11º dia (6.12) 05 Dezembro 2021

A novel variante do coronavirus SARS-CoV2, designada Ômicron, avança no mapa-múndi. Sem registo de óbitos ao fim desta segunda semana, os peritos entendem dever-se ao avanço da vacinação, que estará a proteger contra as formas letais da Covid.

Ômicron sugere eficácia vacinal no mapa-múndi — Ainda sem óbitos ao 11º dia (6.12)

A novel Ômicron fechou de imediato as fronteiras do mundo desenvolvido aos países africanos associados no primeiro momento ao surto da nova variante: África do Sul, Botswana, Eswatini, Malauí, Moçambique — mesmo não tendo ainda nenhum caso —, Namíbia.

Entretanto o mapa da variante Ômicron estende-se, a avermelhar-se. Mas pouco se sabe sobre onde ocorreu a primeira nova variante denominada Ômicron, já que o reino dos Países-Baixos já se perfilou a 27-11 como a primeira onde se registaram os dois primeiros casos, entre 14 e 21-11. Isto depois de no dia 25 a África do Sul informar sobre a sua deteção.

A vacinação anti-Covid atingiu na primeira semana deste mês os 8,4 mil milhões de doses, 105 doses por cada 100 pessoas. Contudo, em 25% de países apenas 5% já receberam uma dose).

A comunidade científica observa com algum espanto a associação entre Ômicron e eficácia vacinal, enquanto a variante avança no mapa-múndi sem registo de óbitos derivados. O que está a suscitar entusiasmo, nomeadamente entre os fabricantes de vacinas que veem nisso uma oprtunidade para a sua defesa de uma terceira dose de reforço e vacinação anual.

A comunidade científica tem a responsabilidade de estudar e propor medidas com a devida cautela perante esta realidade que pede ponderação.

Países afetados com a nova variante

Austrália com três casos e o Reino Unido também com três, todos de pessoas que estiveram na África do Sul. Nesse mesmo sábado 27, sessenta e uma pessoas desembarcadas do voo Joanesburgo-Amesterdão testaram positivo, treze delas à novel variante.

Nos Estados Unidos, Biden alertava sobre "os seis países africanos cujos voos estão suspensos" e no mesmo domingo as autoridades da África do Sul expressaram ressentimento ante a "variante preocupante", segundo a OMS a classificou. Também pelo facto de que o país está a ser apontado como a origem da novel Ômicron.

O anúncio levou ao imediato ao cancelamento de voos e imposição de medidas restritivas nas deslocações de e para a região sul-africana, incluindo Moçambique.

Mais contagiosa? As autoridades sul-africanas no sábado alertavam que as crianças são um grupo de registo mais elevado do que com outras variantes.

No primeiro país a detetar a Ômicron, este domingo regista-se o quíntuplo de infeções em relação à quinta-feira com 2.465 casos, o dobro dos casos diários de Covid-19 devido à Delta.

De novo, é Gauteng, província que abrange Joanesburgo /Johannesburg, capital económica, e Pretória a capital legislativa, que regista a quase totalidade dos casos de infeção devido à Ômicron.

Fontes: Japan Times/Times of India/Jerusalem Post/BBC/SABC.za/WSJ/Financial Time/ODia.mz/JN.pt. Fotos: Mapas da vacinação e da novel Ômicron (esta a ortografia no português, apesar de dominarem outras na web-esfera.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project