DIÁSPORA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Portugal: Doentes cabo-verdianos evacuados revoltados com a medida para abandonem a residência do INPS 04 Agosto 2019

A situação é de revolta entre os doentes de Cabo Verde evacuados e alojados na residência do Instituto Nacional da Previdência Social em Portugal. Em causa está um despacho do INPS, dando um prazo de um mês a todos os internados com mais de um ano naquele espaço para o abandonarem.

Portugal: Doentes cabo-verdianos evacuados revoltados com a medida  para abandonem a residência do INPS

Conforme uma testemunha ocular que acompanha este caso em Portugal, o ambiente é de apreensão e revolta entre vários docentes evacuados, que temem ir para rua por não disporem de outras alternativas. "Neste momento há uma revolta muito grande no seio dos doentes evacuados alojados na residência do INPS em Portugal. É que o INPS emitiu um despacho, dizendo que todos os doentes com mais de um ano nessa residência terão de abandonar esse espaço - têm o prazo de 1 mês para sair de lá. Há uma revolta total dos doentes. É que ainda estão em tratamentos e vão para a rua sem outras residências alternativas».

A fonte em contacto com o Asemanaonline cita, a título de exemplo, o caso de uma artista conhecida de Cabo Verde que está com um cancer, fazendo quimioterapia duas vezes por semana, a confirmar que já recebeu aviso para sair no fim deste mês da referida instalação. «Essa senhora está mesmo em baixo perante as possíveis consequências graves dessa decisão do INPS. Entre os outros evacuados internados no mesmo edifício também reina, neste momento, um sentimentos de revolta total e uma grande preocupação perante a indisponibilidade - sem recursos financeiros para alugar casa e familiares para os acolher - para continuarem com o tratamento em Portugal».

Para cabo-verdianos em Lisboa, se as autoridades governamentais não mandarem travar tal medida, esses evacuados internados na residência do INPS estão na iminência de passarem por uma situação de dramática, com consequências graves na sua saúde. «Eles não sabem onde vão ficar aqueles que não têm parentes em Portugal e o dinheiro que recebem não chagam para suportar as despesas básicas com a alimentação, o tratamento e o transporte"», assevera a fonte referida.

Entretanto, devido ao adiantado da hora do fecho desta edição, foi impossível o Asemanaonline chagar à fala com o INPS. Por isso, este jornal conta retomar essa matéria, caso a dirção desta instituição queira reagir sobre as preocupações referidas.

O Centro de Acolhimento do INPS em Portugal foi inaugurado a 22 de abril de 2012 - tem sido destinado aos doentes evacuados. O objectivo da iniciativa é o de colmatar uma carência há muito reclamada pelos beneficiários para a melhoria das suas condições de alojamento naquele país europeu.O CA do INPS situa-se na Rua de São Tomé, lote 131, Prior Velho, Loures, Portugal. O edifício de 6 pisos tem a capacidade para albergar cerca de 48 pessoas.

É de recordar que entre os Estados de Cabo Verde e Portugal existe um Acordo de Cooperação no domínio de Saúde, que permite efectuar evacuações para tratamento em Portugal, quando estão esgotados todos os recursos locais.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project