POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Maio e promessa do Governo não cumprida: Comissão Política Regional do PAICV refuta acusações do MpD local sobre organização de manifestação 24 Junho 2018

Continua a polémica no Maio com trocas de acusações entre a oposição e situação sobre a manifestação realizada pela União Maiense devido ao não cumprimento das promessas do actual governo na ilha. Agora é o vice-presidente da Comissão Politica Regional do PAICV que refutou, este sábado, as acusações do MpD local de que são os mentores e organizadores da manifestação do dia 16, acusação que classificou de “pouco democrática”.

 Maio e promessa do Governo não cumprida: Comissão Política Regional  do PAICV refuta acusações do MpD local sobre organização de manifestação

“Os maienses não compreendem a posição do MpD sobre esta manifestação”, lançou Carlos Moniz citado pela inforpress, lembrando que nas ilhas em que ocorreram manifestações do tipo estavam dirigentes locais do MpD e, na Boa Vista, precisou, esteve presente o próprio presidente da Câmara dessa Ilha que é também “alto dirigente do MpD”.

Segundo a mesma fonte, houve manifestações nas ilhas de São Vicente e Boa Vista, mas o MpD não convocou a Imprensa para acusar os partidos da oposição por estarem por detrás dessas manifestações, porque sabem que elas são iniciativas da sociedade civil, que reivindica “mais atenção” por parte do Governo em segurança, oportunidade de emprego para jovens e quadros formados, mais desenvolvimento com a criação de infra-estruturas importantes para as suas ilhas.

“Essas manifestações tiveram em conta as políticas de desenvolvimento dos sucessivos governos, desde a independência até ao presente momento, mas com mais ênfase nas políticas do actual Governo porque é este que está a governar o país e não os outros que já não estão e nem poderiam estar a governar”, lembrou.

Conforme informou aquele responsável político, a manifestação ocorrido no passado dia 16 não visava a câmara o seu presidente, até porque este foi convidado para nela participar, tal como aconteceu com o seu colega da Boa Vista.

“Talvez por defender o seu partido mais do que a sua própria ilha, disse que não ia estar presente, porque não sabia quem estava por detrás dessas manifestações”, ajuntou o responsável local do PAICV.

Sucesso da manifestação e ilusões com novas promessas

Carlos Moniz disse ainda que, ao contrário do que foi divulgado no “jornal do MpD”, de que a manifestação foi um fracasso, houve uma “boa adesão” da população.

“Foi, sim, um grande sucesso com uma média de 300 pessoas, o que já é muito bom, apesar de todas as ameaças do Governo e do MpD local que ficou com medo, prova disso, foi terem dado uma conferência de imprensa para se defenderem”, ajuntou.

“É lamentável dizer que o deputado nacional do PAICV e o líder da Bancada da OIAM estiveram por detrás dessa manifestação. Nada mais falso. Eles estavam lá como maienses preocupados com o estado de abandono da sua ilha por parte do Governo do MpD, que só fez promessas e ainda não cumpriu nenhuma”, advogou.

Carlos Moniz aproveitou a ocasião ainda para questionar o coordenador local do MpD sobre o alegado “bom momento” que a ilha do Maio está a passar, “que ninguém vê e que só o MpD consegue ver”, e quais são as obras que estão a ser feitas na ilha para se dizer que a ilha “encontra-se em obras”, e que projecto é esse que a câmara do MpD tem que vai tornar a ilha “diferente nos próximos anos”.

Quanto ao anunciado do financiamento para a requalificação do porto, aquele dirigente disse que o anúncio “não passa de uma ilusão” para tentar “enganar os maienses”.

“E o aeroporto internacional, Hospital de referência, novo Porto, turismo que prometeram aos maienses, onde estão”, conclui. C/Infopress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project