ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Líder do PAICV considera que os resultados do estudo da Afrosondagem revelam o que o povo cabo-verdiano se sente no dia-a-dia 26 Abril 2018

A líder do PAICV considera que os dados do estudo sobre a Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde, realizado em 2017 e divulgados hoje pela Afrosondagem, revelaram aquilo que se sente no dia a dia, isto é, que mais de 75% dos cabo-verdianos “estão insatisfeitos” com o funcionamento da democracia em Cabo Verde e a maioria considera que o país está a ser dirigido “na direcção errada”.

Líder do PAICV considera que os resultados do estudo da Afrosondagem revelam o que o povo cabo-verdiano se sente no dia-a-dia

Esta advertência de Janira Hopffer Almada consta num post que a mesma colocou na sua página oficial no facebook. Escreve que a conclusão de tal estudo constitui um grande desafio ao Governo para avaliar - passados apenas dois anos da sua tomada de posse - o "estado de arte" da sua acção, e os reais impactos do seu Programa, na vida da população.

«Agora esperamos que o Governo pare para ouvir e pense para agir, a bem desta Nação, ao invés de continuar a tentar nos passar uma visão diferente do País real!
Que o Governo não caia na tentação de cair em picardias de leituras de carácter híbrido e na interpretação de natureza dúbia, parece-nos ser o desejo de todos quantos se preocupam verdadeira e genuinamente com o País», aconselha a líder do maior partido da oposição.

JHA considera, por outro lado, que os dados mostram que 76% dos inquiridos estão “nada ou pouco satisfeitos” com o funcionamento da democracia. Segundo ela, trata-se de um facto que, na perspectiva do Afrosondagem, aponta que os cabo-verdianos estão cada vez mais críticos relativamente ao funcionamento das instituições.

«É preciso que todos tenhamos a capacidade de reflectir e de interpretar estes sinais - cada vez mais fortes da sociedade em geral - relativamente ao funcionamento das nossas Instituições, que são fundamentais num Estado de Direito Democrático como o nosso», acrescenta a mesma fonte.

Para a líder tambarina, não se pode optar pelo caminho mais fácil e pela visão redutora de pensar que é apenas uma questão de percepção, sem tentar escrutinar as razões de fundo e reais dessa avaliação por parte dos cabo-verdainos.

«70% dos cabo-verdianos preferem a democracia a qualquer outra forma de Governo. Por isso mesmo, importa trabalhar - agora, eventualmente, mais do que nunca - para qualificar a nossa democracia», propõe Janira Hopffer Almada no post que colocou hoje na sua conta de facebook.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert

Newsletter

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project