MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Justiça condena ’o mal’ que campeia até na internet — "Fake Jessica" no Brasil homicida de rival e no Reino Unido "o ex" de Chloe que publicou fotos para a envergonhar 24 Setembro 2021

"Até que enfim, obtive justiça!", emocionou-se a Chloe Leigh McIlwaine, de 24 anos, que neste setembro viu condenado o ex-namorado que por vingança publicou fotos privadas dela sem roupa. No Brasil, a investigação ao homicídio de um homem de 44 anos chegou esta semana ao criminoso que movido por ciúmes criou a ’fake Jessica’ com que atraiu para a morte o homem por quem a sua ex-amante, aliás casada, o trocou. A vítima foi baleada à porta de casa, na manhã do dia 2 do corrente, quando saía para trabalhar. Morreu no local.

Justiça condena ’o mal’ que campeia até na internet —

A Justiça vai julgar por "homicídio duplamente qualificado, praticado por motivo fútil e por meio de recurso que impossibilitou a defesa da vítima", um indivíduo de 44 anos, residente em Registro, São Paulo que planeou o homicídio do rival até ao pormenor.

Além disso, responderá por violação de domicílio, por invadir a casa dos vizinhos no momento da tentativa de fuga. Os seus bens, incluindo o carro usado nas diferentes etapas do crime, serão em conformidade com o Artigo 62, da Lei 11.343/2006, perdidos para o Estado. Para isso "basta que o veículo tenha sido preparado intencionalmente para a prática dum crime".

O plano que atirou o homem de 44 anos para a cadeia esta segunda-feira, 19, começou a delinear-se em janeiro deste ano, quando a mulher (casada) com quem mantinha um relacionamento terminou tudo.

A projetar a vingança contra quem o suplantou na preferência dela, o amante rejeitado quis saber quem era o rival. Obcecado com a preterição, recorreu às redes sociais para criar um perfil falso duma tal "Jessica". O seu objetivo era certificar-se acerca da identidade do rival.

"Jessica" conseguiu atrair o jardineiro para um encontro. Mas quem chegou foi o quarentão a desempenhar o papel de assaltante, que logrou roubar o telemóvel do seu rival.

Segundo o responsável da DIG-Delegacia de Investigações Gerais, "[o] perfil fake, que fingia ser Jessica, uma mulher que não existe, marcou um encontro com a vítima". O jardineiro "[a]o chegar [a]o endereço" foi assaltado por "um criminoso que com arma de fogo, apenas roubou o celular dele e pediu a senha. O investigado fez isso porque queria ter acesso no celular do jardineiro, às conversas que ele tinha com a mulher da qual ele já foi amante, para confirmar se os dois estavam juntos", explicou o delegado Freitas.

As mensagens no telemóvel deram ao quarentão iminente homicida a certeza de que precisava e também o endereço eletrónico do filho do jardineiro, através do qual passou a enviar mensagens ameaçadoras ao seu rival.

Ameaças entremeadas por insultos de baixo calão. "Não adianta correr". "Hoje estive para te matar, mas decidi esperar".


Revenge porn

A cidadã britânica Chloe Leigh McIlwaine, de 24 anos, residente em Belfast, capital da Irlanda do Norte, teve a desagradável surpresa de ver expostas ao público as fotos privadas dela nua e em poses sexualizáveis. Mas não hesitou: chamou a polícia e apontou o suspeito.

A embaraçosa experiência para a jovem mãe de duas crianças teve lugar em março quando ela se deu conta que as suas fotos privadas estavam na rede mundial. O seu ’ex’, Stephen Brunty, pirateou-lhe a conta de Facebook e publicou as fotos. Motivo: vingança.

A vingança velho crime sob as suas novas vestes, o da "revenge porn", foi devidamente enquadrado pelo tribunal de ’Laganside Magistrates Court’.

O vingativo Brunt foi condenado a um ano de prisão efetiva, porque o tribunal considerou que o seu crime reveste um "alto nível de culpabilidade", já que "visou maximizar a humilhação" da sua vítima ao pôr "as imagens a circular na maior rede mundial" e "mantê-las por muito tempo disponíveis para serem visualizadas".

Além disso, o facto de Chloe ser mãe foi outro fator agravante para Brunt, na perspetiva do tribunal que lhe atribuiu a pena máxima.

"Até que enfim, obtive justiça!", Chloe respira de alívio ao fim de seis meses de agonia.

Nestes últimos anos, cresce o fenómeno da "revenge porn" — em que a vítima é exposta por um seu "ex" que criminosamente publica material de teor pornográfico para se vingar.

Fontes: Globo.../Belfast Telegraph.co.uk/ Site da Justiça.uk.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project