ESCREVA-NOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Denúncia de negligência na morte da criança Flávia Rodrigues: Em carta remetida ao ministro da Saúde, Líder do PP pede apuramento das responsabilidades 10 Outubro 2019

Em carta remetida ao ministro da Saúde e Segurança Social, o líder do Partido Popular (PP) pede ao governo da República que mande instaurar um inquérito urgente para se esclarecer a morte, supostamente por negligência médica, no dia 21 de Agosto, da criança Flávia Maria Rodrigues Vaz, no Hospital Regional de Santiago Norte, com sede na cidade de Assomada. «Flávio Vaz, cidadão residente em Tarrafal de Santiago, acusa o Hospital Regional de Santiago Norte na Assomada e o Hospital (Centro de Saúde) de Tarrafal de Santiago, de negligência hospitalar pela morte da filha, Flávia Marília Rodrigues Vaz, criança de dois anos e meio», fundamenta Amândio Barbosa Vicente, na missiva (com foto da criança supostamente autorizada pelo pai) remetida, hoje,09, ao ministro Arlindo do Rosário, com cópia à Ordem dos Médicos de Cabo Verde e ao ASemanaonline - ver a seguir.

Denúncia de negligência na morte da criança Flávia Rodrigues: Em carta remetida ao ministro da Saúde, Líder do PP pede apuramento das responsabilidades

Exmo. Senhor Ministro da Saúde, Cidade da Praia.

- Com Conhecimento: Ordem dos Médicos de Cabo Verde/Conhecimento geral

Assunto: Falecimento da criança Flávia Marília Rodrigues Vaz por negligência do Hospital Regional de Santiago Norte e do de Tarrafal de Santiago, segundo a sua família.

Vem o Partido Popular – PP apresentar-lhe a seguinte denúncia, esperando que tome todas as providências no âmbito das suas responsabilidades políticas e administrativas, para o esclarecimento cabal da perda de vida em epígrafe.

Os fundamentos desta denúncia são os que se seguem:

1) Flávio Vaz, cidadão residente em Tarrafal de Santiago, acusa o Hospital Regional de Santiago Norte na Assomada e o Hospital de Tarrafal de Santiago, de negligência hospitalar pela morte da filha, Flávia Marília Rodrigues Vaz, criança de dois anos e meio;

Ele afirma:

a) Que no dia 27 de julho de 2019, a sua filha, Flávia Marília Rodrigues Vaz, deu entrada no Hospital Regional de Santiago Norte na Assomada com os pés inflamados, tendo o médico, Dr. Vladmir Garcia, solicitado exames de sangue e de urina da criança;

b) No mesmo dia, o médico, Dr. Vladmir Garcia, depois de analisar os exames, concluiu que a criança padecia de anemia e receitou um xarope e marcou uma nova consulta para o dia 8 de Agosto de 2019;

c) No dia 8 de Agosto de 2019, o médico, Dr. Vladmir Garcia, informou ao pai da criança que a mesma tinha de ser hospitalizada no dia seguinte, dia 9 de Agosto de 2019, portanto 12 dias depois da primeira consulta;

d) No dia 9 de Agosto de 2019, esse mesmo médico, Dr. Vladmir Garcia, mandou a criança para o internamento hospitalar, tendo a criança ficado hospitalizada nos dias 9, 10, 11 e 12 de Agosto de 2019, sem qualquer medicação, afirmando que a criança estava sob observação médica; Durante estes dias de hospitalização, a criança apanhou uma tosse persistente no Hospital;

e) No dia 12 de Agosto de 2019, o médico, Dr. Paulo, deu alta hospitalar à criança, que voltou para a casa, tendo-lhe sido receitado 3 tipos de xaropes;

f) No dia 21 de Agosto de 2019, tendo o estado de saúde da criança piorado, Flávio Vaz conduziu a criança ao Hospital de Tarrafal e como o estado de saúde era gravíssimo, por volta das 10h e 20 mn, o Hospital do Tarrafal enviou a criança ao Hospital Regional de Santiago Norte na Assomada;

g) No mesmo dia, dia 21 de Agosto de 2019, no Hospital Regional de Santiago Norte em Assomada, a criança permaneceu 9 horas em observação e com o agravamento do estado da mesma, os médicos tentaram fazer uma transfusão de sangue e por volta das 23 horas do mesmo dia evacuaram a criança para o Hospital Central da Praia, onde a criança chegou sem vida – portanto, 25 dias depois da primeira consulta;

Flávio Vaz conclui que a sua filha morreu vítima de negligência hospitalar e entendemos também que se a criança tivesse tido um tratamento adequado desde o primeiro dia da consulta provavelmente hoje estaria no mundo dos vivos;

Assim, requeremos, nesta data, em nome do bem comum, que Vossa Excelência mande instaurar um inquérito independente e isento para o esclarecimento cabal da morte da criança Flávia Marília Rodrigues Vaz.

Mais requeremos que a equipa desse inquérito inclua um médico indicado pelo Partido Popular.

Atentamente,

Praia, 9 de Outubro de 2019 - Amândio Barbosa Vicente - Direção Nacional do PP - Presidente: Telefone 592 70 70 e 914 31 30 - Correio eletrônico: info@partidopopular.cv

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project