CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Edil da Praia: Obras na praça do Palmarejo foram abertas e estarão concluídas dentro de 15 meses 23 Junho 2019

O edil praiense informou, este sábado, que com a sentença do Tribunal de Relação, que anulou um veredicto do Tribunal da Comarca da Praia, as obras na praça do Palmarejo, na praia, foram abertas e estarão concluídas dentro de 15 meses.

Edil da Praia: Obras na praça do Palmarejo foram abertas e estarão concluídas dentro de 15 meses

Óscar Santos fez essa afirmação em declarações à imprensa, quando convidado a falar sobre a declaração do Partido Popular, em nota de imprensa, sobre a decisão do Tribunal de Relação em anular a sentença do Tribunal da Comarca da Praia.

Perante isso, o edil praiense realçou, segundo a Inforpress, que o mais certo é que “a obra vai estar concluída dentro de 15 meses para o bem da população de Palmarejo”.

Óscar Santos adiantou que caso o “PP ou o PAICV quiserem fazer algo que avancem”.

“Nós vamos fazer outra coisa, vamos responsabilizar os autores financeiramente pelos prejuízos. Alguém tem de pagar pelo embargo de uma obra pública”, assegurou.

PP acusa Câmara de violar a lei e pede investigação do negócio

O Partido Popular (PP), num comunicado de imprensa, afirmou que ao abrir as obras na praça de Palmarejo, a Câmara Municipal da Praia cometeu uma “violação grosseira” de uma lei, sem respeitar o término do período de recurso.

“O certo é que a justiça não acaba com a sentença do Tribunal de Relação. Estamos ainda no período de recurso, mas, mesmo que não recorrêssemos, a CMP teria de esperar o transito em julgado da decisão do Tribunal de Relação”, cita a nota.

Conforme o documento, o PP informa que, nesta semana, um recurso dará entrada no Supremo Tribunal de Justiça contra a decisão do Tribunal de Relação, visto que este não entrou no mérito da questão.

“Apenas entendeu que o Tribunal da Praia não é competente para a acção popular e anulou a sentença, coisa que merecerá um recurso”, frisa PP.

Na sua declaração, o PP exorta, uma vez mais, o Ministério Público e a Polícia Judiciária a investigarem os contornos deste negócio, pois, sublinha, há algo neste negócio que indicie crimes de corrupção e participação económica em negócios.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project