LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

ENTREVISTA: Portugal defende extensão de programa de resiliência alimentar em Angola por mais um ano 10 Dezembro 2022

O secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação defendeu o prolongamento do programa Fortalecimento da Resiliência e da Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN) por mais um ano, mostrando-se convicto de que a União Europeia será recetiva.

ENTREVISTA: Portugal defende extensão de programa de resiliência alimentar em Angola por mais um ano

Francisco André, que se encontra em Luanda para participar hoje na 10.ª Cimeira de Chefes de Estado e de Governo da Organização dos Estados da África, Caraíbas e Pacífico (OEACP), aproveitou a presença na capital angolana para uma série de encontros com as autoridades angolanas, nomeadamente o secretário de Estado da Agricultura e Pecuária, João da Cunha, com quem passou em revista o programa, o maior projeto de cooperação delegada gerido por Portugal.

Conseguimos verificar as melhorias que temos vindo a alcançar no último ano e discutimos as formas de estender esse projeto por mais um ano e com isso reforçar a capacidade de Angola e, sobretudo, de algumas províncias no setor alimentar”, disse, em entrevista à Lusa, mostrando-se confiante de que os parceiros europeus serão recetivos à proposta de Portugal e Angola.

O responsável quis também “olhar para o futuro da relação bilateral” e salientou que no setor agroalimentar, em que Angola aposta, Portugal e as suas empresas e agentes económicos podem ter um papel preponderante, participando, “juntos com Angola, no desenvolvimento da sua economia”.

O Programa FRESAN visa contribuir para a redução da fome, da pobreza e da vulnerabilidade à insegurança alimentar e nutricional nas províncias do sul do país mais afetadas pelas alterações climáticas – Cunene, Huíla e Namibe.

Financiado pela União Europeia (UE) e gerido pelo Camões – Instituto da Cooperação e da Língua, I.P., entre outras entidades, conta com um pacote de 65 milhões de euros para o período entre 2018 e 2024.

Francisco André encontrou-se também com a secretária de Estado das Relações Exteriores angolana, Esmeralda Mendonça, para “passar em revista a atualidade e a agenda político diplomática” dos dois países e com o ministro de Estado e chefe da casa civil do Presidente da República, Adão de Almeida, em que se debruçaram sobre os desafios políticos dos dois países e a diversificação económica, sublinhando mais uma vez o contributo que podem dar as empresas portuguesas.

A Semana com Lusa

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project