OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Do Dia Internacional da dança 2020 29 Abril 2020

A mais apropriada definição de Dança é, a que nos deu o egrégio Musicólogo alemão CURT SACHS (1881-1959): A dança consiste numa coordenação estética de movimentos corporais, definição a que (por seu turno), o conceituado Musicólogo, crítico e Compositor espanhol, Adolfo Salazar (1890-1958), acrescentou estas lúcidas considerações: A Dança reúne elementos plásticos, os grandes gestos e as grandes poses, combinando-os, numa composição coerente e dinâmica.

Por: Francisco Fragoso*

Do Dia Internacional da  dança 2020

Do Dia Internacional da dança 2020

À modo de NP:

Em 1982, o Comité Internacional da Dança do Instituto
Internacional do Teatro (IIT) fundou o Dia
Internacional da Dança, que será celebrado,
anualmente na data de 29 Abril, para homenagear
e comemorar o aniversário do genial e incontornável
bailarino francês,
Jean-Georges NOVERRE (1727-1810),
o criador do Ballet moderno.

Anualmente, uma mensagem internacional é redigida por uma personalidade da dança mundialmente conhecida, ou seja: um coreógrafo ou um bailarino excepcional e, esta Mensagem é difundida através do mundo. O autor da Mensagem é selecionado pelo IIT na base das propostas do Comité Internacional da Dança. Esta Mensagem é traduzida em numerosos idiomas e línguas e difundida, de modo seguro e solene, no mundo inteiro.
Os objectivos do Dia internacional da dança e, por extensão óbvia, da Mensagem respectiva, são, fundamentalmente, reunir o mundo da dança, prestar homenagem à dança, celebrar a sua universalidade, franqueando todas as barreiras políticas, culturais e étnicas, juntar e reunir a Humanidade, (no seu todo), em amizade e paz em torno da dança, esta linguagem eloquente e assertivamente, universal.
Este Dia é um momento especial de celebração para aqueles que podem ver o valor e a relevância da Dança e actua outrossim e, ainda, como um despertar para os governantes, os políticos e as Instituições que ainda não reconheceram o seu valor respectivo para o povo e para os indivíduos e não realizaram o potencial de conhecimento económico e, não só ...
Vale a pena, sublinhar que a Dança, na sua acepção mais geral, é arte de mover e movimentar o corpo humano constituído esse, por uma sequência de movimentos ordenados, frequentemente, ritmados por música.
Consoante as danças, os povos e as épocas onde elas são executadas, a dança possui motivos distintos e modos dissemelhantes de se praticar, assaz reveladoras do modo de vida e existência da sociedade.
O autor da Mensagem Internacional da Dança deste ano 2020 é o Dançarino/bailarino, coreógrafo e pedagogo Sul-Africano, Gregory YUYANI MAQOMA (n-1973).

— - @ ---

Sucinto perfil biográfico de GREGORY MAQOMA

Bailarino/dançarino, coreógrafo e pedagogo, Gregory MAQOMA é considerado como um dos talentosos artistas da nova geração na África do Sul. Nasceu à Joanesburgo em 1973, começa à integrar a companhia Moving into Dance, criada por Sylvia Glasser, artista que muito fez para a permuta e o diálogo entre os artistas de dissemelhantes culturas. Em 1994, a sua primeira criação para a companhia alcança o Prémio FNB Vita Pickof the Fringe. Um ano mais tarde, é laureado, desta vez, na categoria Stepping Stones.
Gregory MAQOMA interessou-se para a dança no fim da década dos anos 1980 como meio para escapar às tensões políticas que se desenvolviam no seu país de nascimento. Começou a sua formação de bailarino em 1960 no Moving Into Dance, do qual tornou-se o director artístico associado em 2002. MAQOMA impôs-se como um bailarino, coreógrafo, professor e director de renome internacional. Fundou o Vuyani Dance Theatre (VDT) em 1999 enquanto beneficiava de uma bolsa na escola de pesquisa e de formação em artes da cena (PARTS) na Bélgica, sob a direcção de Anne Teresa De Keersmaeker.
MAQOMA é respeitado pelos seus colaboradores, artistas da geração como Akram Khan, Vincent Mantsoe, Faustin Linyekula, Dada Masilo, Shanell Winlock, Sidi Larbi, Cherkaoui, Nhlanhla Malangu e o director de teatro James Ngcobo.
Várias obras do seu repertório valeram-lhe elogios e um reconhecimento internacional. Este privilégio inclui o FNB Vita Choreographer of the Year em 1999, 2001 e 2002 respectivamente para Rhythm 1. 2. 3, Rhytm Blues e Southern Comfort. Recebeu o Standart Bank Young Artist Award for Dance em 2002. MAQOMA foi finalista do prémio da coreografia Daimler Chrysler em 2002 e do programa de mentor Rolex em 2003. Recebeu o prémio Tunkie 2012 por Leadership em dança. Em 2014, recebeu um “Bessie”, o primeiro prémio de dança da cidade de New York para Exit/Exist pela composição de uma música original. Foi nomeado no quadro do Rolex Arts Initiave 2016-2017 e foi o conservador do Main Dance Program 2017 para o National Arts Festival. As suas obras actuais “Via Kanana” e “Cion: Cion: Requiem of Ravel’s Bolero” são atualmente em digressão em África e na Europa.
Em 2017, MAQOMA foi condecorado com Chevalier de l’Ordre des Arts et des Lettres pelo governo francês. Em 2018, o ministério Sul Africano das artes e da cultura outorgou-lhe o primeiro prémio Usita pela sua devoção ao ensino da dança. Em 2018, MAQOMA é um dos artistas convidados selecionados para o departamento de dança da Universidade do Commonweath de Virgínia assim como um dos professores convidados pela École De Sables – Toubab Dialaw no Senegal. MAQOMA faz parte do comité de selecção do festival da Bienal da dança em África que terá lugar à Marrakech em 2020.
Em 2019 colaborou com William Kentridge enquanto coreógrafo e actuou na opera de Kentridge “The Head And The Load” que criou na Tate Modern Gallery de Londres em Julho e fez uma digressão na Alemanha, Áustria, Países Baixos e New York.
Em 2019, MAQOMA colaborou com Idris Elba e Kwei-Armah na produção “Tree” produzida pelo Festival internacional de Manchester e o Young Vic.

Posto isto, vamos então a Mensagem deste ano 2020:

Message for International Dance Day 2020 by Gregory
Vuyani MAQOMA (29 Avril 2020) (Versão original):

Gregory Vuyani MAQOMA, South Africa
Dancer, actor, choreographer and dance educator

It was during an interview I had recently that I had to think deeply about dance, what does it mean to me? In my response, I had look into my journey, and I realized that it was all about purpose and each day presents a new challenge that needs to be confronted, and it is through dance that I try to make sense of the world.
We are leaving through unimaginable tragedies, in a time that I could best describe as the posthuman era. More than ever, we need to dance with purpose, to remind the world that humanity still exists. Purpose and empathy need to privail over years of undeniable virtual landscape of dissolution that has given rise to a catharsis of universal grief conquering the sadness, the hard reality that continues to permeate the living confronted by death, rejection and poverty. Our dance must more than ever give a strong signal to the world leaders and those entrusted with safeguarding and improving human conditions that we are an army of furious thinkers, and our purpose i sone that strives to change the world one step at a time. Dance is freedom, and our found freedom, we must free others from the entrapments they face in different corners of the world. Dance is not political but becomes political because it caries in its fibre a human connection and therefore responds to circumstances in its attempt to restore human dignity.
As we dance with our bodies, tumbling in space and tangling together, we become a force of movement weaving hearts, touching souls and proving healing that is so desperately needed. And purpose becomes a single hydra-headed, invincible and indivisible dance. All we need now is to dance some more!!!!
Vamos, a seguir apresentar a Mensagem na versão
Portuguesa, versão essa da nossa autoria e lavra:

Mensagem para o Dia Internacional da Dança por

Gregory Vuyani MAQOMA (29 Abril 2020) (versão portuguesa):

Gregory Vuyani MAQOMA
Bailarino/Dançarino, actor, coreógrafo e professor de Dança

Foi no decurso de uma entrevista que tive recentemente que pus a reflectir profundamente na dança, o que ela significa para mim? Na minha resposta, resolvi debruçar-me sobre o meu percurso e realizei que tudo era questão de fim e que cada dia, representa um novo desafio que é necessário relevar e é pela dança que tento dar um sentido ao mundo.

Dirigimos através das tragédias inimagináveis, numa época que eu poderia descrever como a era pós-humana. Mais que nunca, devemos dançar com determinação, para lembrar ao mundo que a humanidade existe sempre. A determinação e a empatia devem levar a melhor, os anos e anos de inegável paisagem virtual de dissociação que originou uma catarse de luto universal que conquista a tristeza, a dura realidade que continua a impregnar os vivos confrontados com a morte, a rejeição e a pobreza. A nossa dança deve mais que nunca outorgar um sinal forte aos dirigentes do mundo e àqueles que estão encarregues de vigiar pela segurança e melhorar as condições de vida dos seres humanos: somos um exército de pensadores furiosos e o nosso objectivo é mudar o mundo passo a passo. A dança é a liberdade e, graças à liberdade que encontramos, devemos libertar os outros das armadilhas às quais são confrontados em diferentes cantos do mundo. A dança não é política, mas o torna porque ela alimenta na sua fibra um elo humano e responde por conseguinte, às circunstâncias na sua tentativa de restaurar a dignidade humana.

Dançando com os nossos corpos, agitando no espaço e intercalando-se, transformamos uma força de movimento que tece os corações, toca as almas e traz a cura da qual temos tão desesperadamente necessidade. O fim torna-se uma única cabeça de hidra, dança invencível e indivisível. Tudo quanto nos é necessário, presentemente, é dançar um pouco mais!!!!

— - @ ---

Em tempo oportuno

e, em jeito de Remate Pedagógico:

De um modo geral, grande parte do público é levado a pensar, que a Dança e o Ballet são, uma só e, a mesma cousa. O que, de facto, não é verdade!
A mais apropriada definição de Dança é, a que nos deu o egrégio Musicólogo alemão CURT SACHS (1881-1959): A dança consiste numa coordenação estética de movimentos corporais, definição a que (por seu turno), o conceituado Musicólogo, crítico e Compositor espanhol, Adolfo Salazar (1890-1958), acrescentou estas lúcidas considerações: A Dança reúne elementos plásticos, os grandes gestos e as grandes poses, combinando-os, numa composição coerente e dinâmica.
Na verdade, Dança e Ballet, não são, uma só e, a mesma cousa. A Dança é uma expressão rítmica, gestual e musical de sentimentos humanos, ao passo, que o Ballet é a expressão artística da dança, ou seja, “é a Dança de arte”. O Ballet é sempre dança, enquanto a Dança pode não ser Ballet ...
Muitos são os significados/sinónimos que se usa para a expressão/termo “Ballet”. Todavia, do ponto de vista coreográfico, Ballet é uma narrativa outorgada através da Dança com o apoio da Mímica, da Pantomima, da Música, das Artes Plásticas (cenários e figurinos) e das técnicas do Palco (luminotecnia, sonoplastia, etc.).
De feito, no Ballet: Há sempre uma narrativa dramática
Eis porque, ao Ballet se chama, outrossim, Dança teatral. Entretanto, para o grande Público esta designação restrita, se ampliou e se generalizou a toda a expressão espectacular da Dança. Por isso, se denomina, vulgarmente “Ballet” a todo espectáculo de Dança. (...).

Lisboa, Abril 2020
...
*Médico, humanista e teatrólogo cabo-verdiano)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project