REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

’Dia D’ há 75 anos — B.Leza cantou e hoje realeza e Aliados celebram 07 Junho 2019

A Rainha de Inglaterra está na primeira fila e tem a seu lado os demais aliados para a celebração do "Dia D", 6 de junho de 1944, em que ficou claro que Hitler "não vai ganhar a guerra" e "a vitória será dos Aliados", como cantou no Mindelo o B.Leza. A 106 km de Londres, em Portsmouth, porto de partida para o desembarque nas praias da Normandia em 1944, estão veteranos e chefes de Estado e de Governo, os aliados e o inimigo, no total, 16 países da guerra mundial de 1939-1945.

’Dia D’ há 75 anos — B.Leza cantou e hoje realeza e Aliados celebram

Trump, Macron, Merkel, Justin Trudeau e o australiano Scott Morrison entre outros, no sul de Inglaterra, participam na cerimónia que arrancou na quarta e terminará na sexta-feira, 7, na Normandia com o lançamento da primeira-pedra dum memorial britânico, por Theresa May. O último ato do mandato — atormentado pelo Brexit — da segunda primeira-ministra que "não será a última" a governar o Reino Unido, como May fez votos na despedida.

Pelo meio, a bordo do navio MV Boudicca trezentos veteranos, com mais de 90 anos, refazem o trajeto de menos de trezentos quilómetros na noite de 5 para 6. Na quinta-feira de manhã, desembarcam nas praias de Utah, Omaha, Gold, Juno e Sword, assim batizadas em homenagem aos soldados americanos e ingleses.

A celebração em Portsmouth é pontuada por leituras de testemunhos de antigos soldados, pelo desfile aéreo da Royal Air Force, com aviões de hoje e caças Spitfire da época, por uma parada de quatro mil militares e onze navios de guerra britânicos.

Emmanuel Macron lê a carta que Henri Fertet, fuzilado em 26 de setembro de 1943, aos 16 anos, deixou aos pais: "Os soldados chegaram para me levar. Apresso o passo. A minha letra pode parecer tremida, mas é só porque escrevo com um pedaço de lápis. Não tenho medo da morte, tenho a consciência muito tranquila".

A primeira-ministra demissionária Theresa May lê a carta dum soldado à esposa. Esse inglês escreveu-a na antevéspera do desembarque na Normandia, onde morreu.

Trump lê um trecho da "Oração do Dia D", pela qual o seu homólogo Franklin D. Roosevelt – o principal mentor da ’maior invasão anfíbia no Canal’ – se dirigiu aos amigos americanos via rádio, no final do dia 6.

A rainha Isabel leu o discurso de encerramento da comemoração do dia 6: "Nós recordaremos para sempre o heroismo, a coragem e o sacrifício de todos os que perderam a vida. É com humildade e muita honra que em nome do meu país e em nome do mundo livre digo-vos a todos "Obrigada!"
— -
Fotos: (Reuters): Desembarque na Normandia; a sua comemoração por Emmanuel Macron, Theresa May, o príncipe Carlos, a rainha Isabel II, Donald e Melania Trump, o presidente Prokopis Pavlopoulos, da Grécia, e Angela Merkel. O "Dia D" em que Hitler começou a perder.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau

blogs

publicidade

Newsletter

Abonnement

Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project