LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Brasil: Discriminação é crime público num affair privado — Esposa ajuda amante a denunciar cirurgião 18 Junho 2022

"Você me dispensou, trocou pela macaca", expressou em SMS o cirurgião plástico Domingos Quintella à sua ainda esposa Jéssica Andrade referindo-se à atleta Dara Augusta. Com esta e outras provas, Dara deu início a um processo judicial por "injúria racial e homofobia".

Brasil: Discriminação é crime público num affair privado — Esposa ajuda amante a  denunciar cirurgião

Segundo a queixosa — que na última sexta-feira apresentou vídeos como prova junto da Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância —, o cirurgião plástico não aceita o relacionamento dela com a ex-mulher dele.

"Ele me procurou" através do WhatsApp de Jéssica, "me mandava mensagens
fazendo ameaças, falando que não era para eu ficar com a Jéssica porque eu ’tava destruindo a vida dela, a vida do filho, porque era vergonhoso ela estar com uma pessoa negra", relata Dara, de 19 anos.

Domingos Quintella de Paolla, de 68 anos de idade, é cirurgião plástico com mais de 40 anos de profissão. Ele e Jéssica, de 25 anos, ainda são casados no papel, porque "ele não aceita o divórcio. Eu quero o divórcio, só que ele ainda não me deu. Ele não quer dar! Simples assim".

Jéssica conta em reportagem da Globo que ajudou a colher elementos para Dara levar o caso a tribunal. Numa troca de emails, Domingos escreveu: "Isso é imperdoável. Ela é analfabeta e sem futuro, uma derrotada. Nunca será nada na vida".

Dara decidiu denunciar o caso nas redes sociais, onde têm quase 400 mil seguidores. "Gente, então, eu vim explicar a vocês. A pessoa que está cometendo todos esses atos de racismo contra a minha pessoa é o ex-marido da Jéssica. Ele não aceita o fim. Ele não aceita que ela não quer ficar com ele. Ele não aceita a situação de que não dá, que não quer e com isso ele começa a ter vários atos de racismo".

Num encontro que teve com o (ex-)marido na Praia de Copacabana, Jéssica decidiu gravar a conversa, sem mostrar o rosto de Domingos.

"Ela é favelada, não tem como sair se entrar [na favela]. Quer apostar comigo, quer brincar? Você não vai ficar zangada comigo se eu fizer isso? Meter ela numa delegacia, encher de porrada de borracha e depois soltar. Ela merece. Ela é macaca. Ela é macaca. Preta e macaca", disse o médico.

Jéssica e Dara esperam que o médico seja punido. "Eu amo ela, né? Então, vou à luta com ela. Ver ela sofrer me dói porque eu amo", disse a professora Jéssica.

Com os vídeos em mãos, Dara e Jéssica procuraram a polícia especializada, aconselhadas pela advogada que contrataram. Elas dizem que sentem medo do que o médico pode fazer a partir de agora.

"Ele fala em me matar. Se ele me matar, para ele vai pegar cadeia, já tem 68 anos, simples assim", disse Jéssica.

O que diz a defesa do médico


A equipa da reportagem procurou o visado "para saber o que ele tem a dizer sobre as ameaças e os ataques racistas e homofóbicos contra a ex-mulher dele e a namorada dela. Pelo interfone, ele negou as acusações".

O advogado de Domingos de Paolla garantiu que o seu cliente "não fez nenhum contato com Dara e que nunca a viu".

O defensor de Domingos considerou o comportamentp do seu cliente como "natural", porque casado com Jéssica "ela o traiu com uma mulher. É natural que os dois se desentendessem".

Traído pelo celular?

A reportagem desenterra um caso que envolveu o médico-cirurgião. Em 2018, o cirurgião chefiava o serviço de cirurgia plástica do Hospital dos Servidores e numa mensagem que viralizou na internet, pediu a um médico aprovado na residência do hospital que desistisse da vaga em favor do filho dele.

Sobre essa polêmica envolvendo a vaga de residência no Hospital dos Servidores, omédico afirmou ao jornal O Globo, na época, que lhe roubaram o aparelho, foi outra pessoa que enviou a mensagem.

Fontes: Globo/UOL/Universa.br

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project