NÔS TRADISON

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

“Banderona”: Arranca a festa mais longa de Cabo Verde 21 Janeiro 2018

Arrancou em flecha, este sábado, 20 de Janeiro, na localidade de Campanas de Baixo, no concelho de São Filipe do Fogo, aquela que é considerada a festa tradicional de cariz profano-religioso mais longa de Cabo Verde, a "Banderona". Até o dia 12 de Fevereiro, todos os caminhos vão dar a esta histórica aldeia, com os tambores a rufar e o pilão a ocupar o lugar central da festividade. Estão também agendadas várias atividades culturais e recreativas, em que se destaca a atuação de Ferro e Gaita e Zé Delgado, entre outros artistas e conjuntos convidados.

“Banderona”: Arranca a festa mais longa de Cabo Verde

A realização da edição deste ano da Bandeirona é da responsabilidade do festeiro João di Tata e família, sendo que a abertura da mesma aconteceu este sábado, 20 de Janeiro, com a construção das barracas e baile popular.

Como é já habitual, cada ano os festeiros homenageiam uma figura da mesma localidade que se tenha destacado em qualquer actividade. De recordar que “tomar bandeira” é um acto de fé que honra uma promessa, mas também um gesto de afirmação social. Daí que nos últimos anos a Banderona tem sido “tomada” apenas por emigrantes; em regra, pessoas com alguma posse em termos materiais e financeiros.

Em Campanas de Baixo, a Banderona começa com o ritual do pilão, que dura até a véspera do dia da bandeira, 12 de Fevereiro, na casa do festeiro. No vigésimo terceiro dia, a Bandeira é levada à igreja para receber a bênção do padre, regressando logo a seguir para a casa do festeiro, onde é colocada num altar. Ali permanece para “escutar” as promessas e receber as oferendas de velas.

Conforme a tradição, o momento alto acontece um dia antes do término da festa com a tradicional matança de animais, cuja carne é utilizada para o almoço do dia da Banderona. A matança é acompanhada por rufar de tambores e cânticos das “coladeras”. A meio da matança, surgem ladrões mascarados que roubam e desaparecem com carne, mas logo são apanhados e amarrados, numa encenação que atrai multidões.

Já o corpo de “coladores” (homens e mulheres), os responsáveis pelos cânticos e coro, vão “colando” (dançando), cantando, elogiando as pessoas ou enaltecendo alguma coisa. É então que acontece o “kudi baxon”, ou seja, a resposta em coro do povo. Tudo acompanhado pelo rufar ritmado e certo dos tambores dos “caxerus”.

Banderona é uma festa popular e bastante concorrida no Fogo. Centenas de pessoas convergem até a pequena localidade de Campanas de Baixo, cumprindo assim uma tradição que surgiu há mais de dois séculos e que, segundo reza a lenda, nasceu de uma brincadeira de crianças.

Segundo escritos com base em depoimentos de residentes mais antigos, cota-se que, numa época que já se perdeu no tempo, as pessoas ouviram no assobiar do vento sons comparados com o toque de tambores e cantigas, num ambiente onde não faltaram também relâmpagos e trovões. Crianças que brincavam numa ribeira replicaram, tocando em latas. Desde então a festa repete-se todos os anos. Hoje é uma das maiores e mais tradicionais festividades culturais de Cabo Verde.

Programação da festa

Segundo o programa divulgado, de 21 de Janeiro a 07 de Fevereiro, decorre o pilão (pilon) para preparação do milho para o almoço, mas também animação musical com Djs e algumas bandas.

Já para o dia 08 de Fevereiro está prevista a realização de uma noite familiar e com participação de amigos do festeiro, animado pelo violinista Nhô Nani e banda.

O dia seguinte, 09, é dedicado à realização de noite de emigrante , com a entrega de diplomas de reconhecimento a alguns deles, pelo contributo dado pela preservação da festa, assim como actuação do violinista Vavu e banda e vozes e artistas de Campanas de Baixo.

Informam os festeiros citados pela Infoorpress que, para o dia 10 de Fevereiro, sábado, antevéspera do dia da Banderona, além de matança de animais para o almoço, está agendada a realização de baile popular com Irmãos Unidos da Brava, Nelito e banda e o grupo Ferro Gaita.

Mas as atividades não ficam por aí. No domingo, está prevista actuação de artistas como Show de Pina, Bnine Pantera e Zé Delgado e banda, que, juntamente com Ferro Gaita, constituem destaque desta edição da festa de Banderona.

Ainda para o mesmo dia está programada a realização de desfile de motos e de “cabalero” (cavaleiros). Na segunda-feira, 12, será servido almoço seguido de “entrega di boi” (passagem da bandeira para o festeiro para o ano de 2019).
Segundo a organização da festa, entre os dias 07 e 09 de Fevereiro, realiza-se um torneio quadrangular de futsal entre as equipas de Campanas de Baixo, Campanas de Cima, Galinheiro e S.Jorge. É o Fogo a brincar a festa de Bandeira 2018.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project