Editorial

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Autárquicas 2020: O dilema dos grupos independentes Basta e GIR concorrerem ou serem «assaltados pelo MpD» 19 Fevereiro 2020

Os grupos independentes próximos do MpD no poder na Boa Vista (Basta) e na Ribeira Brava de São Nicolau (GIR) enfrentam o dilema de participarem autonomamente na corrida às autárquicas de 2020 ou serem «estrategicamente assaltados» pelo partido ventoinha. Para observadores locais, este cenário vai depender sobretudo da avaliação do desempenho que os presidentes das duas Câmara vierem fizer - José Luís Santos (Boa Vista) e Pedro Morais (Ribeira Brava) vão depois decidir se vão concorrer ou juntar-se ao MpD.

Autárquicas 2020: O dilema dos grupos independentes Basta e GIR concorrerem ou serem «assaltados pelo MpD»

Pelo recente discurso do líder do MpD após a sua reeleição nas diretas da semana passada, este partido pretende até conquistar 20 Câmaras em 2020. Para alguns analistas, uma das leituras políticas que se possa fazer deste discurso é que, com esta estratégica, o MpD pode estar a querer pressionar os dois grupos independentes (BASTA e GIR) em não correrem autonomamente ou então receber o apoio do partido. Com isto, pode manter as atuais 18 Câmaras, se perder pelo menos duas a favor do PAICV. Mas pode, por outro lado, chegar a 20 Câmaras, se manter as atuais sob a sua gestão, somando as outras de Boa Vista e da Ribeira Brava.

Mas ainda é cedo para se descortinar no terreno as correlações de forças políticas nos dois municípios. Aliás, se Basta e GIR resolverem concorrer a um segundo mandato, os cenários políticos podem ser outros. Para já, na Boa Vista vão surgir entre três e quatro candidaturas: dos dois partidos do arco do poder (MpD e PAICV) e de igual número de grupos independentes: o Basta, no poder, e o Pró Boavista do Futuro, de Sérgio Corra. Ou então três listas de concorrentes, isto se o Movimento Basta desistir de participar na corrida. Já na Ribeira Brava, perspectiva-se, neste momento, entre duas e três candidaturas: do GIR no poder, do MpD (o pré-candidato está no terreno) e do PAICV. Não se descarta, por outro lado, um duelo entre estes dois partidos do arco do poder, caso o GIR decidir não concorrer à presidência da Câmara local.

Diante de tudo isto, observadores atentos concluem: Os grupos independentes próximos do MpD no poder na Boa Vista (Basta) e na Ribeira Brava de São Nicolau (GIR) enfrentam o dilema de participarem autonomamente na corrida às autárquicas de 2020 ou serem «estrategicamente assaltados» pelo partido ventoinha. Mas vamos esperar para ver, já que na política tudo pode acontecer!

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project