CORREIO DAS ILHAS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Associação de Criadores de Gado do Porto Novo lança SOS: Maioria dos criadores está sem condições para adquirir ração para animais 07 Junho 2018

O SOS está lançado. Os criadores de gado no concelho do Porto Novo, em Santo Antão, aununciam que estão a enfrentar dificuldades para adquirir a ração para o salvamento dos seus animais, devido à falta de rendimentos, alertou hoje,07, a associação da classe.

Associação de Criadores de Gado do Porto Novo lança SOS: Maioria dos criadores está sem condições para adquirir ração para animais

Lançado que está este SOS, a organização representativa dos homens de gado esperam a intervenção urgente do Governo da República e das autoridades municipais.

O responsável da Associação dos Criadores de Gados, Romeu Rodrigues, avançou à Inforpress que “a maioria” dos criadores está a amontoar os vales cheques em casa, porque não tem condições económicas para adquirir ração, mesmo com o desconto dos 20 por cento (%) por cada saco.

“Ração tem, o que acontece é que muitos criadores, recebem os vales cheques, mas não conseguem comprar a ração porque não tem condições”, explicou a mesma fonte, que alertou para o facto do Porto Novo, que é um município muito árido, estar a passar, nesta altura, pela situação mais crítica deste ano de seca.

Já em Abril, os criadores de gado, um pouco por todo o concelho do Porto Novo, tinham informado que estavam a amontoar os vales cheques em casa, “por falta de condições financeiras” para aquisição de ração.

Nessa altura, esta problemática foi alvo de debate na Assembleia Municipal do Porto Novo, que se debruçou sobre a implementação do plano de emergência de mitigação dos efeitos da seca e salvamento do gado neste município, com um efectivo pecuário de 24 mil cabeças de gado.

Porém, os dados a que a Inforpress teve acesso indicam que, nos primeiros cinco meses de execução do plano, os criadores tinham gasto cerca de cinco mil contos na aquisição de ração.

No Porto Novo, segundo o edil, Aníbal Fonseca, o Ministério da Agricultura e Ambiente (MAA) e o município têm estado a comparticipar em cerca de 45% no custo da ração, através dos descontos de 20% por cada saco e apoio no transporte do produto até às comunidades.

O representante dos criadores informou que em termos de abastecimento, pelo menos, nos arredores da cidade do Porto Novo, não tem havido problemas.

O plano de mitigação da seca e salvamento do gado para Porto Novo, estimado em 80 mil contos, está em execução há seis e, “apesar das insuficiências, está a funcionar”, segundo os responsáveis locais, que defendem, todavia, o reforço do plano, sobretudo a componente criação de empregos.

Pelas suas especificidades (extenso, disperso e árido), Porto Novo merece “particular atenção” do Governo, numa altura em que o município está a passar pelo “período mais critico” da seca, adiantam as autoridades municipais, conclui a agência cabo-verdiana de notícias.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade
Cap-vert
Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project