EXPOSIÇÕES

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Artista Luís Levy Lima celebra “momento especial” da carreira com exposição “Djuntu” em Lisboa 06 Setembro 2021

O artista Levy Lima inaugura no próximo dia 17 deste mês, no Centro Cultural de Cabo Verde (CCCV), em Lisboa, a exposição “Djuntu” em que serão apresentadas a colecção “Músicos de Cabo Verde” e exposição individual “Tera Longi”.

Artista Luís Levy Lima celebra “momento especial” da carreira com exposição “Djuntu” em Lisboa

Segundo uma nota informativa do CCCV, o título “Djuntu” (unido, ligado) foi escolhido pelo artista plástico para celebrar este momento especial na sua carreira e constitui uma das suas maiores exposições.

“É um evento com inauguração dupla, distribuído por dois andares, onde o artista apresenta a sua maior e mais célebre colecção de 16 retratos de Músicos de Cabo Verde no piso térreo e uma exposição individual de 10 obras originais “Téra Lonji” no piso superior do edifício. Uma situação rara e irrepetível, que vai ter lugar no dia 17 de Setembro de 2021 às 19:00 no Centro Cultural de Cabo Verde em Lisboa”, lê-se na nota.

De acordo com o comunicado, “Téra” Lonji é uma exposição de nostalgia e de memórias motivadas pela distância imposta pela covid-19, a incerteza do futuro, a saudade da morabeza e um período difícil, “preso” em Lisboa, de muitos silêncios e frustração, de resiliência e superação, que mudaram muito o artista e a sua pintura.

Já a colecção Músicos de Cabo Verde, segundo a mesma fonte, é um evento único e sem precedentes e uma mostra de prestígio internacional, que pretende celebrar o património cultural cabo-verdiano e homenagear os grandes nomes da música.

A referida colecção, considera a nota, é uma verdadeira efeméride que assinala a conclusão da célebre colecção de Luís Levy Lima, que esteve desde 2017 à guarda do Hotel Pestana Trópico e que nunca havia saído do país.

Neste sentido, para finalizar o projecto com chave de ouro, aos já conhecidos retratos de Bana, Cesária Évora, Paulino Vieira, Lura, Ildo Lobo, Tito Paris, Mayra Andrade, Luís Morais, Manuel d’ Novas, Celina Pereira, Dino d’Santiago e Ferro Gaita, somam-se agora quatro novas obras originais do Humbertona, Elida Almeida, Armando Tito e Orlando Pantera feitas propositadamente para esta exposição, totalizando assim um grupo de 16 telas que, são, por conseguinte, a maior colecção do artista.

A exposição Téra Lonji estará patente até ao dia 17 de Outubro e a colecção Músicos de Cabo Verde manter-se-á no CCCV até ao dia 17 de Dezembro de 2021. As visitas estão abertas de segunda a sexta, das 10:00 às 17:00 com entrada gratuita.

Luis Levy Lima nasceu em Lisboa, Portugal em 1986. Cresceu numa família de artistas cabo-verdianos. Curiosamente, não queria ser pintor e licenciou-se em design gráfico pela Faculdade de Belas Artes de Lisboa.

No entanto, suas actividades de pintura eram um “segredo bem guardado” que apenas seus amigos e parentes conheciam até que um dia a vontade de pintar se tornou mais forte do que qualquer outra coisa.

Desde então Luís Levy Lima estreou também várias exposições no Hotel Hilton, Assembleia Nacional de Cabo Verde, Bienal de Cerveira, Palácio da Cultura Ildo Lobo, Fábrica Braço de Prata e várias outras galerias e instituições em Portugal e no estrangeiro.

Está presente em renomados museus, instituições e hotéis, por exemplo, Museu do Oriente (Lisboa), Embaixada de Cabo Verde em Portugal (Lisboa), Robinson Club Cabo Verde (Ilha do Sal) e Pestana Trópico Hotel (Praia, Cabo Verde).

Também retratou várias figuras famosas e as suas obras integram a colecção privada de personalidades como Madonna e Luís Represas. C/Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project