LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Angola: Médicos angolanos vão parar por 1h em solidariedade com colega agredido 24 Setembro 2021

O Sindicato Nacional dos Médicos de Angola, em solidariedade para com um colega agredido por familiares de uma paciente em Benguela, convocou uma paralisação para a próxima segunda-feira, por uma hora, em todos os hospitais do país.

Angola: Médicos angolanos vão parar por 1h em solidariedade com colega agredido

Num comunicado de imprensa, o Sindicato dos Médicos de Angola lembra que o colega em causa, António Dungula, afeto ao Hospital Geral de Benguela, foi alvo de agressão física "em pleno exercício das suas atividades, após ter reanimado, sem sucesso, uma paciente, no momento de comunicar o óbito aos familiares da mesma", conforme escreve a Agência Lusa.

Para o sindicato, o sucedido configura uma ameaça ao bom exercício da medicina em Angola e uma violação aos direitos e deveres dos médicos, balizados nos estatutos da Ordem dos Médicos de Angola (OMA).

"Usando das prerrogativas do artigo 92.º da OrMed, alínea e), em gesto de solidariedade com os médicos de Benguela e, em particular com o Dr. Dungula, o Sindicato Nacional dos Médicos de Angola convoca todos os seus filhos e toda a classe médica em geral, a cumprirem uma paralisação de 60 minutos, em todas as unidades sanitárias da República de Angola, entre as 12 e 13 horas, de segunda-feira", avisam os médicos no comunicado, citado pela Lusa.

O comunicado realça que, em respeito ao bem vida, as urgências devem responder com metade da sua força laboral e cuidados intensivos na sua plenitude.

Também o gabinete provincial da Saúde de Benguela condenou "veementemente" a atitude de agressão física ao médico, ocorrida no banco de urgência do Hospital Geral de Benguela, na terça-feira passada.

"Compreendemos a dor dos familiares no momento da perda de um ente querido, porém, nada justifica atos de agressão física, verbal ou psicológica contra os profissionais que de forma sacrificada entregam-se à missão do cuidar e tratar aqueles que em momento de dor e aflição acorrem aos serviços de saúde para buscar ajuda de que necessitam", realça o gabinete provincial de saúde de Benguela, citado pela nossa fonte.

A doente, segundo a nota do gabinete provincial de saúde de Benguela, deu entrada no hospital com um quadro clínico complexo e de elevada gravidade, apresentando complicações cardiorrespiratórias, terminando em óbito, "não obstante os esforços da equipa médica e de enfermagem".

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade


  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project