REGISTOS

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

Ameaça de guerra de reféns Pequim-Washington — Xi exorta para "guerra de resistência contra a agressão americana" 22 Outubro 2020

A China faz subtil ameaça sobre os americanos residentes após dezenas de investigadores chineses nos Estados Unidos serem acusados de espionagem (em alguns casos, seguida de detenção). As meias-palavras marcaram na terça-feira, 20, a exposição inaugurada pelo presidente Xi para comemorar os 70 anos da intervenção chinesa contra as tropas americanas, na guerra da Coreia.

Ameaça de guerra de reféns Pequim-Washington — Xi exorta  para

A foto oficial da presidência chinesa (divulgada pela agência Xinhua) mostra Xi Jinping a ministrar uma lição de história aos membros do Partido Comunista, em 20 de outubro, data comemorativa da intervenção da "China Vermelha" no quarto mês do início da guerra da Coreia (1950-53).

Dois anos antes, em 1948, como resultado do início da Guerra Fria entre os Estados Unidos e a União Soviética, a península coreana fora dividida em duas regiões, com governos separados. Coreia do sul, capitalista e sob influência americana, e Coreia do Norte, comunistae sob influência soviética, afirmavam ser o legítimo governo da Coreia, e nenhum lado aceitava as fronteiras como permanentes.

O presidente Xi citou a atual escalada das tensões com a América de Donald Trump para exortar a sua audiência "a manter o espírito", tal como os soldados chineses de 1950 , "nesta guerra de resistência contra a agressão americana".

O objetivo é realizar "o renascimento nacional" nesta "nova era", disse o presidente Xi referindo-se à sua presidência incontestada e sem limite de duração, no país mais povoado do planeta.

Quad unem-se em Tóquio contra China

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Austrália, E. Unidos, Índia e Japão reuniram-se na primeira terça-feira este mês, dia 6, em Tóquio. A cimeira aconteceu pela segunda vez apesar dos protestos da China, que há mais de uma década tem encarado as atividades do Quad como uma provocação e conseguiu de 2008 a 2017 paralisar os trabalhos do grupo.

Os quatro países identificados como grupo de Nações Ásia-Pacífico formam, desde 2007, o QUAD-Diálogo Quadrilateral de Segurança, que foi concebido como fórum onde diplomatas se encontram em cimeiras semi-periódicas, para discutir temas estratégicos e de intercâmbio comercial.

A segunda edição do fórum estratégico informal — em que os quatro países definem ações como intercâmbios, partilha de informação, exercícios militares — aconteceu, apesar do desagrado da RPC. Depois da reunião de 2008, a China tinha protestado nas Nações Unidas contra as ações que levaram a confrontos no Estreito de Malabar.

Fontes: Japan Times/South China Morning Post/Le Monde. Foto (Xinhua/AFP): Xi Jinping no Museu de Pequim, acompanhado de líderes do PCC e governantes estaduais Li Keqiang, Li Zhanshu, Wang Yang, Wang Huning, Zhao Leji, Han Zheng e Wang Qishanque, inaugurou a exposição dos 70 anos da entrada na guerra da Coreia. O presidente aproveitou a ocasião para incentivar à "guerra de resistência contra a agressão americana".

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project