DESPORTO

A SEMANA : Primeiro diário caboverdiano em linha

África do Sul faz história: 1º capitão Kolisi ergue "a Taça" de campeã mundial — Seleção faz história ao bater Inglaterra no râguebi por 32-12 03 Novembro 2019

A final do campeonato de râguebi, sábado, 2, que decorreu na cidade japonesa de Yokohama fica na história da modalidade, não só pelo confronto entre duas equipas poderosas e pelo terceiro título conquistado pela seleção sul-africana, mas em especial por ser a primeira vez que a taça é erguida por um capitão negro.

África do Sul faz história: 1º capitão Kolisi ergue

Siya Kolisi ergue a Taça "Webb Ellis" que consagra os Springboks — a seleção da África do Sul — campeões do mundo de râguebi. A sua terceira Taça.

Foi em 1995 que os Springboks receberam o seu primeiro troféu "Webb Ellis", entregue pelo presidente Nelson Mandela, que vestia a camisola nº 6, a do treinador François Pienaar. Era a primeira vitória logo no primeiro campeonato em que a África de Sul participava e de que era o país-anfitrião, ao fim de décadas de banimento devido ao apartheid.

Mandela, que tomara posse havia um ano, garantira que o râguebi — que fora instrumentalizado no apartheid — serviria doravante "para unir os sul-africanos, que a segregação racial dividiu".

Vinte e quatro anos depois, nota o New York Times, o presidente Cyril Ramaphosa voa até ao Japão e mostra-se ao mundo a envergar a sua camisola Springbok. Segundo o site da presidência, a mensagem é clara: o râguebi antes desporto segregado, exclusivo da minoria branca, tem de "continuar a promover a unidade da nação" de 55 milhões.

Vida

"Quero que este título venha a inspirar cada miúdo do nosso país, a África do Sul", disse Siyamthanda Kolisi, que nasceu em 16 de junho de 1991 — a mãe tinha 16 anos e o pai 17 — num bairro pobre da maioria segregada até que a luta de Mandela pôs término ao apartheid.

Em 2007, para poder ver os Springboks a receber a sua segunda Taça, a Rugby World Cup/Taça Mundial de Râguebi, Kolisi sem televisão em casa entrou num bar. A inspiração já estava com ele desde os 11 anos, mas ao ver John Smit a erguer o troféu após a vitória sobre a Inglaterra em Paris, mais se convenceu que o seu caminho ia ser esse.

Em 2014, o raguebista profissional e a esposa Rachel integraram na família recém-formada os dois irmãos dele órfãos, Liyema e Liphelo. Em 2015 e 2017 nasceram os dois filhos do casal.

Fontes: Sport TV/Times of Japan/BBC/.... Foto AP.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade





  • Mediateca
    Cap-vert

    Uhau

    Uhau

    blogs

    publicidade

    Newsletter

    Abonnement

    Copyright 2018 ASemana Online | Crédito: AK-Project