AMBIENTE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Peixes endémicos dos mares de Cabo Verde 05 Setembro 2011

Segundo a Fishbase (List of Endemic Fishes for Cape Verde) na internet, existem treze peixes endémicos em Cabo Verde. Não encontramos listas específicas quanto às espécies que não sejam peixes. Nesta área parecemos estar alheios a tudo, dependendo quase na totalidade de esforços e dedicação de cientistas ou curiosos estrangeiros. Salvo raríssimas excepções, as espécies descobertas, mesmo nos dias que correm, resultam do trabalho de pessoas que, por iniciativa própria ou sustentadas por organismos académicos dos seus respectivos países, vêm a Cabo Verde mergulhar e contemplar o mundo com novas informações.

Texto: emanuel C. D’ Oliveira
Fotos: SANTIAGO DIVE CENTER

Peixes endémicos dos mares de Cabo Verde

Algumas dessas criaturas únicas no planeta são bem conhecidas entre os cabo-verdianos, particularmente aqueles que lidam com a pesca ou a culinária. Três tipos de sargos, uma das nossas tainhas, a bentelha e o morro estão entre os mais vulgares. Os menos conhecidos são o rabo-branco, uma determinada raia, um tipo de peixe-agulha e quatro outras espécies.

O desconhecimento de algumas espécies, por parte da nossa população, deve-se principalmente ao facto de não serem consumidas como alimentos. As reduzidas dimensões que algumas apresentam ou ainda a ausência de capturas, mesmo acidentais, contribuem igualmente para essa ignorância. Nas profundidades frequentadas por mergulhadores, estes têm a oportunidade de observar a maioria das espécies tidas por endémicas até à presente data.

Similiparma hermani, de nome científico, é conhecido nas ilhas do barlavento por pá-mané-de-rabo-branco e em Santiago simplesmente por rabo-branco. Não cresce para além dos 20 cm. A diferença de aspecto entre o seu estado adulto e juvenil leva muitos a acreditarem em duas espécies distintas. Quando ainda pequeno apresenta-se de um amarelo forte e um azul vivo a concorrer para uma das mais belas criaturas dos recifes. O adulto apenas não é preto nas barbatanas caudais, que são brancas.

Pelo menos uma das espécies de taínha, a Chelon bispinosus é endémica, sendo por vezes necessário o recurso à ajuda especializada para a sua identificação. A fotografia é de uma outra espécie de taínha, bastante vulgar em Cabo Verde, o Oedalechilus labeo.

Os três tipos de sargos endémicos - Diplodus fasciatus, Diplodus prayensis e Diplodus sargus lineatus – respectivamente, tchico-preto, sargo-salema e sargo branco, na linguagem dos pescadores de Santiago - são bem conhecidos no mercado de peixe. São parecidos com os sargos de outras paragens como o Diplodus cervinus, o vulgaris o e sargus.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter