ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Saúde mundial: OMS indica melhorias global, mas revela 1,4 milhões de mortes por tuberculose 19 Maio 2017

O estado da saúde a nível global mostra, segundo a Organização Mundial de Saúde, progressos para muitas pessoas nos últimos anos, mas persistem ainda muitos desafios a se vencer para que os Estados-Membros consigam cumprir os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável no horizonte de 2030. Uma das exigências actuais da instituição é conter o surgimento de 10,4 milhões de novos casos de tuberculose no mundo – esta doença curável já matou 1,4 milhões de pessoas só em 2015, atingindo sobretudo o continente africano.

Saúde mundial: OMS indica melhorias global, mas revela 1,4 milhões de mortes por tuberculose

Estes e outros dados constam do novo relatório da OMS, publicado nesta quarta-feira,17. Segundo a Rádio das Nações Unidas citando a mesma agência especializada, o documento revela que, embora muitas pessoas tenham melhor acesso aos cuidados de saúde do que nunca, elas continuam mais propensas em fazer dívidas para os custear.

Luta contra HIV e malária

Diz a mesma fonte que elaborado com dados de 194 Estados-Membros sobre mais de 20 objectivos de desenvolvimento sanitário relacionados com o desenvolvimento sustentável, o relatório compara até que ponto os países chegaram até ao presente milénio. Os dados estatísticos revelam muitos progressos no combate ao HIV, na distribuição da rede anti-malária, nos cuidados pré-natais e no saneamento.

10,4 milhões de novos caso de tuberculose

A OMS faz questão de realçar que o relatório traz, no entanto, notícias menos boas. Precisa que os últimos dados globais sugerem mais de 10,4 milhões de novos casos de tuberculose. Isto para além de ter provocado 1,4 milhões de mortes só em 2015.

Embora seja tratável e curável, a pesquisa indicia que essa doença continua a ser um grande problema mundial, especialmente na África, onde o acesso ao diagnóstico e tratamento está na origem de tudo isto. Indica que regista-se também uma situação idêntica nos países da ex-União Soviética da Europa Oriental.

"A taxa de tuberculose está diminuindo nesses países e essa é a boa notícia. A má notícia é que está indo muito devagar e um factor de confusão importante para retardar esse declínio é a propagação da resistência aos medicamentos", informa a Christopher Dye da Organização Mundial de Saúde.

Baixa de mortes por doenças não transmissíveis

Segundo o mesmo responsável, tem havido mais sucesso na redução de mortes por doenças não-transmissíveis - uma meta chave do Desenvolvimento Sustentável.

O relatório da OMS que vimos citando revela, por outro lado, que a probabilidade de morrer de diabetes, câncer, coração ou doença pulmonar, de pessoas entre 30 e 70 anos de idade, caiu 17 por cento desde o ano 2000 e até esta data.

9 em cada 100 pobres sem dinheiro para saúde

Entretanto, a OMS alerta estar preocupada com a situação de carência de recursos para custear os cuidados de saúde em países de baixa e média rendas no mundo. É que, segundo informa, os dados constantes do novo relatório indicam que mais de nove em cada 100 pessoas são susceptíveis de sofrer doenças por falta de dinheiro para financiar os custos com a saúde.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter