POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

PAICV renovado no Porto Novo: Nova líder desafia com oposição firme para combater a estagnação económica e o aumento do desemprego no concelho 17 Abril 2017

Elisa Pinheiro, arquitecta de profissão, é a nova líder do PAICV no Porto Novo de Santo, que foi eleita, através de uma lista única, com mais de 90 dos votos validamente expressos no final da semana passada. A jovem política anuncia protagonizar uma oposição firme com propostas alternativas credíveis à actual Câmara Municipal de Aníbal Fonseca suportada pelo MpD. Pinheiro desafia, na breve entrevista que se segue, que a sua grande preocupação neste momento «é a completa estagnação de todo o Concelho», com «o aumento da taxa de desemprego que se acentua pelos sucessivos despedimentos preconizados pela actual equipa camarária, contradizendo as promessas feitas durante as campanhas eleitorais».

PAICV renovado no Porto Novo: Nova líder desafia com oposição firme para combater a estagnação económica e o aumento do desemprego no concelho

Como vê a sua eleição como 1ª secretária do sector local do PAICV?

A minha eleição, que aconteceu na Conferência do Setor do Porto Novo, realizada no passado dia 8 de Abril do corrente ano, decorreu de forma tranquila e no seio de um ambiente enaltecedor promovido por todos os participantes e intervenientes, tendo sido eleita com 99,9 por cento dos votos validamente expressos. Pois, a minha candidatura surgiu como uma necessidade face ao contexto e a situação atual do PAICV no Concelho, onde por isso, acabei por responder às várias solicitações feitas por militantes, amigos e simpatizantes do partido. E com tal legitimidade, sinto-me ainda mais motivada para em conjunto, continuarmos a dar o contributo necessário para o PAICV no nosso Concelho.

Desafios internos

Quais são os principais desafios da sua equipa?

Os desafios são enormes, mas durante o mandato a minha equipa terá como missão: A união efetiva de todas as partes integrantes da família tambarina (militantes e dirigentes), para que juntos possamos trabalhar no sentido do PAICV continuar a merecer a confiança de todos os portonovenses de uma forma particular e de todos os cabo-verdianos de uma forma geral, enquanto partido de causas e principal organização política de Cabo Verde. A reestruturação e a valorização das bases, enquanto pilares fundamentais do Partido; o empoderamento e a motivação dos militantes; a promoção do diálogo constante entre nós os militantes, os simpatizantes e a sociedade Civil; bem como, o recrutamento permanente de novos militantes também será fundamental. E para isso, vamos abrir o partido ainda mais à participação de todos os grupos sociais e faixas etárias que propugnam para uma sociedade mais livre, mais justa, mais solidária e mais desenvolvida. Apenas assim, conseguiremos responder aos grandes desafios que também temos pela frente, que é fazer uma oposição firme, responsável e construtiva com o intuito de trazer o PAICV, de novo, às esferas do poder, colocando-o como partido vencedor das autárquicas em 2020 e dar uma contribuição forte para que, da mesma forma, possamos vencer as legislativas em 2021.

Situação crítica e Câmara ineficaz

Como pretende fazer a oposição à actual Câmara do Porto Novo?

A oposição à Câmara Municipal do Porto Novo (CMPN) será forte, convicta, com propostas alternativas credíveis aliadas a um diálogo constante e permanente com todos. Pois, temos um Concelho com uma população ciosa da importância do PAICV na governação municipal e com certeza que não esperarão uma postura diferente. Tralharemos de forma articulada com a bancada municipal e com as bases do partido que por sua vez deverão participar de forma ativa nas sessões da Assembleia Municipal, expondo os seus anseios e dificuldades. Pois, o PAICV tem responsabilidades a cumprir, enquanto oposição, criticando as más políticas, o mau desempenho, e também, apresentando alternativas credíveis à gestão camarária. E tal significa fazer uma oposição com responsabilidade, defendendo os interesses dos munícipes, sem olhar a cor política ou religiosa dos cidadãos.

Quais os principais problemas e anseios da população do Concelho que mais lhe preocupa neste momento?

A grande preocupação neste momento, é a completa estagnação de todo o Concelho no que diz respeito ao seu respectivo desenvolvimento. No entanto, podemos salientar o aumento da taxa de desemprego que se acentua pelos sucessivos despedimentos preconizados pela actual equipa camarária, contradizendo as promessas feitas durante as campanhas eleitorais; Os estragos provocados pelas chuvas de Setembro último, principalmente nos acessos a determinadas localidades do interior do Concelho que ainda continuam a merecer de necessárias intervenções do Governo.

A nossa liderança está ainda preocupada com a escassez de água potável para o consumo e para o gado que se faz sentir na Zona Norte do Concelho, bem como a falta de água para fazer face às necessidades agrícolas na localidade de Ribeira dos Bodes, e tantas outras localidades que vem atravessando dificuldades semelhantes, com consequências extremamente graves junto das suas populações e onde a CMPN tem demonstrado ser ineficaz na resolução desses problemas.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter