ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Ilha Verde expande-se com montagem de silos para cereais em Santo Antão 15 Abril 2017

A firma nacional Ilha Verde expande-se agora para a região norte de Cabo Verde com a proposta para, dentro em breve, montar, na cidade do Porto Novo de Santo Antão, uma unidade de silos para armazenar e comercializar cereais, bem como desenvolver, na ilha, indústrias agro-alimentares - fabrico de óleo alimentar, aguardente tipo “RUM” e processamento do milho para uso alimentar.

Ilha Verde expande-se com montagem de silos para cereais em Santo Antão

Conforme a empresa, esse projecto será uma realidade a partir de Junho próximo, altura em que essa sociedade privada cabo-verdiana começa a instalar, na cidade do Porto Novo, a referida unidade de silos para armazenamento e comercialização de cereais.

O Asemanaonline apura que administração da Ilha Verde já apresentou à Câmara Municipal do Porto Novo a sua proposta de investimentos para Santo Antão, do qual se destaca a montagem referida unidade fabril de de silos para o armazenamento e a comercialização de creiais como milho, arroz, trigo, feijão e soja.

Mas os investimentos da Ilha Verde não ficam por aí. A firma pretende também desenvolver em Santo Antão algumas indústrias agro-alimentares a partir de cereais, com foco no óleo alimentar, no aguardente tipo “RUM”, no processamento do milho para uso alimentar, de entre outros produtos.

Como era de esperar, o executivo camarário de Aníbal Fonseca regozija-se como esse projecto, por considerar que vai dinamizar a economia santantonense, visto que vai permitir a criação de alguns postos de trabalho na ilha das Montanhas.

“Com a instalação dos silos no Porto Novo, já no mês de Junho, vamos ter a possibilidade de mais postos de trabalho directos e indirectos neste concelho”, lê-se numa nota da Câmara Municipal. É de salientar que a Sociedade Ilha Verde tem já uma grande unidade de silos, a funcionar nas proximidades do Porto da Praia, com cereais importados de Paraguai. Fundada em 1989, a empresa tem por objectivo importar, exportar, transformar, comercializar e reexportar produtos agrícolas, pecuária, florestais, industriais e fertilizantes.

Paraguai e Cabo Verde

Entretanto, o milho que a firma comercializa resulta da produção do terreno que a Ilha Verde possui e explora no Paraguai. Este projecto data dos anos oitenta, altura em que o Estado cabo-verdiano, através da então EMPA (Empresa Pública de Abastecimentos) adquiriu naquele país sul-americano como forma de suprir o crónico défice cerealífero no arquipélago. Com o liberalismo surgido com o advento do multipartidarismo da década 90, o terreno foi privatizado e passou para a Ilha Verde, que é uma empresa constituída por privados cabo-verdianos.

Conforme os registos, o primeiro carregamento de milho paraguaio chegou a Cabo Verde em Novembro de 2013, num total de 15 mil toneladas. Já na segunda remessa, desembarcada em Dezembro de 2014, a quantidade de milho rondou as 10 mil toneladas. A partir desta data a empresa não parou de exportar o milho para o país, que vem sendo aproveitado sobretudo na produção da ração animal.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter