BREVES NOTÍCIAS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Janira Hopffer Almada, candidata única à liderança do PAICV, quer o partido como alternativa de governação o mais rápido possível 29 Janeiro 2017

Janira Hopffer Almada, candidata única à liderança do PAICV, afirmou hoje que quer trabalhar para o fortalecimento do partido que deve ser, no mais curto período do tempo, uma alternativa de governação em Cabo Verde.

A candidata à sua própria sucessão falava aos jornalistas depois de ter votado, neste Domingo de manhã, na mesa das instalações da Escola Polivalente Cesaltina Ramos, em Achada de Santo António, Cidade da Praia, para as eleições directas do Partido Africano da Independência de Cabo Verde (PAICV) , que vai está a decorrer das 09:00, com término previsto para as 17:00, dentro e fora do país.

Segundo a dirigente, face aos resultados das últimas eleições (legislativas e autárquicas), entendeu que, “por ética e com responsabilidade”, deveria colocar o seu cargo à disposição, mas também pelo nível de contestação que foi gerando durante os últimos tempos, como forma de dar possibilidades a outros de avançarem com as suas ideias, algo que, sublinhou, não aconteceu.

Janira Hopffer Almada reiterou que gostaria de ter um adversário para o embate, mas adiantou que agora vai se “concentrar” nos militantes do partido, visando trabalhar para uma oposição “mais forte”, considerando que "a política só faz sentido se for para servir o povo e ajudar as pessoas".

“Me recandidato com essas motivações, o meu foco será trabalhar para fortalecer o PAICV, para fazer uma fiscalização muito forte, mas também para ter a capacidade de fazer propostas para que o povo cabo-verdiano volte a confiar, maioritariamente, no PAICV e possamos ser, no mais curto espaço do tempo, uma alternativa de governação, por Cabo Verde”, afirmou.

A candidata está confiante que os militantes do PAICV vão aderir “em massa” às urnas para exercerem o seu "direito, cumprir o seu dever, para que possam ter condições de se iniciar uma nova caminhada, “para um PAICV mais forte e para um Cabo Verde mais justo”.

Na sua opinião, os militantes do partido vão saber o quão importante é este momento para Cabo Verde em ter uma oposição forte, “o que implica um PAICV organizado, fortalecido, que esteja sempre na linha da frente” para entender os interesses da nação e dos cabo-verdianos.

“Recandidatei-me, porque para mim Cabo Verde está em primeiro lugar. Se eu estive disponível para servir Cabo Verde e PAICV quando estávamos no poder, agora que estamos na oposição, tenho muito mais vontade e muito mais determinação e disponibilidade em dar o meu modesto contributo para ajudar o PAICV possa ser uma oposição forte”, frisou.

Nesta eleição que deve legitimar Janira Hopffer Almada como líder do partido, depois das derrotas sofridas nas legislativas e autárquicas em 2016, estão recenseados 34.720 militantes, divididos por 289 mesas de Assembleia de Votos, sendo 289 no país e 37 no estrangeiro.

Depois das derrotas nas últimas eleições, surgiu no seio dos militantes, o movimento conhecido por “Manifesto à Militância”, que tem como principais mentores Júlio Correia e Felisberto Vieira, que não apresentou uma candidatura alternativa à liderança do maior partido da oposição. Os resultados provisórios das eleições internas deste domingo serão divulgados a partir das 19:00, na sede do partido no Platô, e os definitivos serem apurados ao longo da semana.

Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter