Autárquicas 2016

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Waldemar Pires: Alberto Nunes é um presidente de fachada, é o Rei sem Coroa 08 Setembro 2016

O candidato derrotado do PAICV em Santa Catarina do Fogo nas ultimas autarquicas, Waldemar Pires, disse hoje,07. em conferência de imprensa, que ficou claro que, naquele município do Fogo, “as eleições ganham-se com dinheiro e não com propostas e mensagens sérias”. Por isso, exige o cumprimento da lei e que “as autoridades competentes deste país, ao analisarem as nossas reclamações, vão confirmar que houve ilegalidades, que influíram nos resultados das eleições”.

Waldemar Pires: Alberto Nunes é um presidente de fachada, é o Rei sem Coroa

No seu entender, “o video mostra claro e não deixa dúvidas para ninguém” e “apenas veio confirmar as denuncias que nós já tínhamos feito, durante a campanha e no próprio dia das eleições”. Por estas razões, considera que “desta forma não vale a pena participar na vida política em Cabo Verde”.

Para Waldemar Pires, as eleições no município “ficaram definitivamente manchadas pelas acções deliberadas da candidatura do MPD, ao comprar a consciência dos eleitores mais humildes, que na presença de 500, 1000 e 2000, vendem o seu documento de identificação, como se não houvesse o amanhã”.

Segundo este, alem de BI comprados, “foram pagas pessoas para não votar” e registou-se a perda de documentos em várias localidades como Figueira Pavão, Fonte Aleixo, Estância Roque, Mãe Joana e Cova Figueira.

"Basta o jornalista percorrer as localidades do concelho para encontrar testemunhos das situações por nós relatadas. Quantos BI’s foram queimados nos últimos dias?", questiona. "Agora cabe às autoridades competentes deste país analisarem as nossas reclamações e solicitação, na certeza de que um trabalho sério vai confirmar as denuncias que estamos aqui a fazer".

“A vitória do MPD em Santa Catarina é uma vitória sem glória. O Alberto Nunes é um presidente de fachada, é o Rei sem Coroa, como cantou lindamente a nossa querida Assol. É claro que agora tenta encontrar palavras para justificar as suas acções de uma qualificação baixa a todos os níveis”, disse Waldemar.

Este acusa ainda que, “durante a campanha, existiu uma equipa preparada e que trabalhou com a população: a nossa e uma outra, que apenas confirmou as suas acções de compra de consciência das pessoas humildes do concelho, para chegar ao poder a todo o custo. É nosso entendimento que nem tudo é válido na política”.

Esta reacção surge, após a divulgação do vídeo contendo imagens do ex-candidato do Grupo Independente por Santa Catarina(GIPSC) nas eleições autárquicas de 2008, apoiado pelo MPD, José António Veiga, revelando que havia um esquema para “compra bilhetes de identidades” nas autárquicas de 4 de Setembro último no município.

Nicolau Centeio

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade



Newsletter