Nho Sonjon

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Son Jon, motor da economia portonovense 23 Junho 2015

Em nenhuma outra época, como no final do mês de Junho, o concelho do Porto Novo recebe tantos visitantes – emigrantes de regresso à terra, naturais das outras ilhas, estrangeiros. O motivo é a festa de São João Baptista, o maior evento sociocultural da ilha de Santo Antão e responsável pela emblemática peregrinação popular entre o povoado de Ribeira das Patas e a cidade, esta terça-feira, 23, protagonizada por milhares de pessoas.

Son Jon, motor da economia portonovense

Os hotéis ficam lotados, os restaurantes e bares ganham mais clientela, aumenta o número de ligações marítimas entre o Porto Grande do Mindelo e o cais do Porto Novo e proliferam eventos desportivos e culturais que animam o ambiente. Por tudo isso, Junho é a altura do ano que, conforme o turismólogo Odair Gomes (foto Esq.) e o empresário José Roque, proporciona mais negócios na cidade do Porto Novo. José Roque elucida que o seu restaurante regista, nos três dias que antecedem a festa de Son Jon, uma procura que permite manter a porta aberta de manhã à noite. “É uma altura extraordinária que não podemos deixar escapar”, realça.

Para Odair Gomes, não restam dúvidas de que o desenvolvimento económico do concelho está interrelacionado com a importância da festa de Son Jon. Salienta, no entanto, que falta medir o impacto real do evento na economia local. No seu trabalho de fim de curso, Gomes aborda esse aspecto, através da apreciação dos agentes económicos, e chega à conclusão de que a festa tem um impacto significativo no concelho. “Move o turismo, a restauração, o transporte marítimo e a economia criativa do concelho. Os agentes dizem que o evento gera também emprego”, realça Gomes, enfatizando que a festa tem vindo a ganhar expressão e a movimentar cada vez mais pessoas.

Para o vereador Nilton Dias (foto Dir.), Son Jon é, na verdade, um dos motores socioeconómicos da região, por todo o dinamismo popular que provoca. Isto numa cidade que tem no sector terciário – prestação de serviços, comércio e administração pública – a sua principal actividade económica. “Mas ainda temos outras actividades importantes, como a agricultura, as pescas e a pecuária, que têm vindo a ganhar peso nas localidades do Tarrafal, Alto-Mira, Planalto Leste…”, salienta o responsável pelo pelouro económico da edilidade portonovense. Segundo este jovem economista, Porto Novo é um município promissor, que tem ainda vastos terrenos disponíveis para investimento imobiliário e turístico. No entanto, o concelho continua a sentir a influência negativa da crise económica, que afugentou os grandes investimentos do seu território. Mas, quando chega São João Baptista, a população esquece a tristeza, levanta os braços, arregaça as mangas e entra no terreiro a cantar e a dançar.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau
publicidade


Newsletter