NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Toponímia capitalina — Criatividade gerada pelo erro 05 Novembro 2017

Misóginos dizem que o erro de Deus gerou a mulher. Sem misoginia, vou dar aqui conta de um erro ortográfico que gerou uma heroína.

Por: Luiz Cunha

Toponímia capitalina  — Criatividade gerada pelo erro

Nesse entardecer, a parente chegada para uma primeira visita à capital faz-nos o inventário das suas descobertas.

Numa cidade sem topónimos, o centro da cidade é a exceção. Está sobretudo encantada com o único nome de rua que homenageia uma mulher. Sim?! Espantei-me. Antes de ter tempo de se espantar com o nosso espanto eis a “ rua Judite Bicker”, atira ela triunfal sacando do ‘tablet’ com a foto que junto.

Ela bem escreveu: “A primeira vez que vi a placa metálica, letras brancas sob (engano: sobre) fundo azul, numa rua transversal da capital pus-me a imaginar uma heroína da nossa história comum. Uma filha das ilhas com ascendentes em dois continentes, relembrada numa rua da capital. Deduzo que ela seria, decerto, uma representante dos encontros que no nosso país se deram entre povos diferentes”.

A imaginação a voar, a minha parente já estava a ver nessa "Judite Bicker" uma filha das ilhas que desbravou caminhos.

Onde estão os topónimos a lembrar-nos as valorosas mulheres da nossa terra?

A verdade é mais prosaica

A rua com a placa lá está há anos, muitos, desde que me lembro. Mas quase juraria que como eu muita gente nunca lhe ligou. Confesso que evito olhar para ela, para não me cansar. Como os erros não assumidos cansam! Concluo sempre. E mais uma vez, como há anos venho tentando, faço nova tentativa para se corrigir um erro na toponímia.

Vamos à real história. A rua dedicada a "Júdice Bicker" homenageia o segundo governador da mui conturbada era republicana.

Joaquim Pedro Vieira Júdice Bicker esteve por cá de 1911 a 1915, depois de governar a província de São Tomé e Príncipe.

Eugénio Tavares em 1913 publicou em ’A Voz de Cabo Verde’ um longo artigo sobre a ação deste governador que ia a meio do mandato.

É uma leitura indispensável para bem conhecer como o republicanismo convivia com os resquícios do regime monárquico recém-derrubado.

(Fico-me por aqui, à espera de incentivos para continuar a contar sobre Toponímia Capitalina. Preciso secretária/o para bater textos manuscritos.)

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau