POLÍTICA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

São Vicente: JPAI pede ao BCV para clarificar a situação do crédito habitação jovem bonificado 10 Fevereiro 2018

A JPAI pediu hoje,09, ao Banco de Cabo Verde (BCV), enquanto entidade supervisora, para “clarificar a situação e o dever de cumprimento da lei” que institui o crédito habitação jovem bonificado e o preçário publicitado pelos bancos.

São Vicente: JPAI pede ao BCV para clarificar a situação do crédito habitação jovem bonificado

É que, em conferência de imprensa, esta sexta-feira, na cidade do Mindelo, a vice-presidente nacional da Juventude do PAICV (JPAI), Luana Jardim, explicou que, após “auscultar a juventude cabo-verdiana”, constatou que essa camada tem tido “dificuldades junto à banca” em aceder ao programa crédito habitação jovem bonificado.

Na mesma linha, apelou ao Governo para resolver “eventuais constrangimentos” que estão a impedir os jovens de acederem plenamente a este “importante instrumento” no acesso ao crédito em condições mais competitivas.

Luana Jardim pediu ainda ao executivo de Ulisses Correia e Silva para desbloquear “o projecto e a função” de fomento à habitação da Imobiliária Fundiária e Habitat (IFH), em face dos “graves problemas” de “défice habitacional” que o país enfrenta e que afecta “grandemente” os jovens.

Conforme explicou, à semelhança da lei sobre o “Green Card” que concede benefícios fiscais a cidadãos estrangeiros que tenham comprado imóveis, o Governo deveria implementar um conjunto de medidas públicas de habitação jovem.

“Falámos de um processo especial na atribuição de terrenos a jovens ou jovens casais, visando a construção da sua primeira habitação com preços mais acessíveis, facilidades de pagamento ou incentivos fiscais, nomeadamente isenção de taxas, impostos e outros tributos devidos pelo menos por algum período de tempo”, precisou.

A JPAI acusa o Governo ainda de, apesar das “promessas e propagandas” das negociações com os bancos comerciais, de contribuir para que exista uma “indefinição e falta de informação”, a ponto de, ajuntou, os bancos comerciais não estarem a aceitar a instrução de novos processos de crédito, ao abrigo da lei de bonificação de taxas de juro aos jovens, num “claro prejuízo” à juventude cabo-verdiana.

A JPAI entende, di-lo a responsável, que cabe ao Governo e às instituições do Estado, através de políticas públicas de fomento à habitação, de programas de habitação a custos controlados e de bonificação de juros, “dar conteúdo a este direito constitucional” de acesso à habitação própria.

“No momento em que os jovens cabo-verdianos enfrentam uma das mais altas taxas de desemprego, que chega aos assustadores valores de mais de 40 por cento (%)”, lançou Luana Jardim, e se à essa taxa, declarou, forem associados os contratos de trabalho “cada vez mais precários” impostos aos jovens, a conclusão, sintetizou, é que “aumentam as dificuldades” desta “importante camada” da sociedade cabo-verdiana. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau