INTERNACIONAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Reino Unido: Pastor da Igreja Anglicana pede orações para futuro rei virar ‘gay’ 04 Dezembro 2017

O príncipe George, de quatro anos, neto da rainha de Inglaterra e filho do futuro rei William, será rei dentro de algumas décadas. O facto de um homem de Deus o ter trazido esta sexta-feira, 1, para a discussão sobre os direitos dos LGBT está a chocar o Reino Unido que acredita que um príncipe deve casar com uma princesa.

Reino Unido: Pastor da Igreja Anglicana pede orações para futuro rei virar ‘gay’

A indignação dos súbditos ingleses fez-se de imediato sentir quando o Rev. Kelvin Holdsworth pediu aos fiéis para rezarem pelo futuro do príncipe George, para que na vida adulta ele venha a encontrar “o amor de um belo jovem”.

As orações, na perspetiva do proeminente e polémico sacerdote anglicano, podem fazer avançar a causa do casamento para todos, até agora proibido na Igreja de Inglaterra. Esta Igreja, instituída por Henrique VIII em rutura com o Papa, é desde 1534 chefiada pelo monarca inglês.

Afinal, a monarquia inglesa assenta na sucessão ditada pelo direito de sangue: só é rei quem tem "sangue real". Que um alto representante da Igreja Anglicana peça orações para o Príncipe George virar ‘gay’, logo, incapaz de se reproduzir da maneira tradicional, está a ser sentido em Inglaterra como uma forma de contestação à toda poderosa monarquia inglesa, a mais notável marca registada do reino.

“Só pode ser uma maldição igual à proferida pelas fadas do mal”, reage capelão real

As reações não tardaram ao “post” polémico que o reverendo Holdsworth escreveu na quinta-feira, 30, no seu blog, exortando os fiéis a “rezar no mais privado dos seus corações (ou em público se a isso se atreverem) para que o Senhor abençoe o Príncipe George com o amor de um belo jovem”.

“Um casamento real pode em muito facilitar tudo, se bem que vamos ter de esperar 25 anos para isso acontecer”, escreveu o sacerdote anglicano. “Mas, quem sabe, isso pode acontecer ainda mais cedo, através de outros meios”.

O Rev. Gavin Ashenden, ex-capelão real, classificou como “anti-cristão” o pedido: “Rezar para que o Príncipe George cresça nesse sentido” é “o mesmo que rezar num sentido que vai destabilizar e prejudicar a sua pessoa e o seu papel constitucional”, já que se espera que o futuro rei “tenha um herdeiro biológico com a mulher que ele vier a amar”.

“Esta foi um a oração desestabilizadora. É o equivalente teológico da maldição da fada maléfica. Não se esperava tal de um cristão”, concluiu.

Fontes: BBC. Foto: AFP. Castelo de Windsor, em junho, na festa de anos de Isabel II.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau