REGISTOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

“Prezado Sr. Presidente” - A carta manuscrita que Obama entregou a Trump 06 Setembro 2017

A carta do presidente cessante ao novo presidente é uma tradição e, mesmo com a turbulência desta passagem, o 44º presidente cumpriu o estabelecido. Deixou ao seu sucessor uma carta, na verdade, duas vezes mais longa que a dos seus predecessores e com elogios e conselhos. Alguns dias depois de tomar posse, Trump revelou que tinha recebido de Obama “uma bela carta” mas não se estendeu muito sobre o conteúdo. Este domingo ao 222º dia, a carta que Obama escreveu à mão foi transcrita pela CNN, numa “fuga” atribuível ao Gabinete Oval. Trazemo-la aqui fiel ao original.

“Prezado Sr. Presidente” - A carta manuscrita que Obama entregou a Trump

Prezado Sr. Presidente

Felicito-o pela campanha extraordinária. Milhões depositaram em si todas as esperanças e todos nós, independentemente de partidos, contamos ver o país tornar-se mais próspero e seguro durante a nova presidência.

O cargo é único, não há uma minuta oficial para o sucesso, por isso não posso ter a certeza se algum dos meus conselhos pode ser especialmente útil. Porém, permita-me algumas reflexões sobre os últimos oito anos.

Primeiro, fomos ambos abençoados, de modos diferentes, tivemos muita sorte. Nem toda a gente tem tanta sorte. Cabe-nos a nós fazer tudo o que está ao nosso alcance para erguer mais patamares de sucesso para todas as crianças e famílias que estão dispostas a trabalhar arduamente.

Segundo, a liderança norte-americana neste mundo é realmente indispensável. Cabe-nos a nós, através da ação e do exemplo, sustentar a ordem internacional que se mantém desde o fim da Guerra Fria, e da qual a nossa própria riqueza e segurança dependem.

Terceiro, nós somos apenas ocupantes temporários deste cargo. Isso torna-nos guardiães destas instituições e tradições democráticas – tais como o estado de direito, a separação de poderes, o garante da igualdade e dos direitos civis –, pelas quais os nossos antepassados lutaram e derramaram o seu sangue.

Independentemente do desafio e dinâmica das políticas diárias, cabe-nos a nós deixar esses instrumentos da nossa democracia pelo menos tão fortes como os encontrámos.

E por fim, apesar da correria dos eventos e responsabilidades, deixe algum do seu tempo para dedicar-se à família e aos amigos. São eles que o vão ajudar a superar os dias mais difíceis.

Michelle e eu desejamos o melhor para si e Melania, neste momento em que entram nesta grandiosa aventura, e saibam que ambos estaremos sempre prontos para ajudar no que for preciso.

Boa sorte e que Deus vos acompanhe,

BO

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau