ECONOMIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Presidente da CBB: Divulgação da lista de clientes do Novo Banco é uma “machadada grave” na confiança do sistema bancário 18 Mar�o 2017

O presidente da Câmara do Comércio de Barlavento (CCB), Belarmino Lucas disse, esta sexta-feira, que a publicação da lista dos clientes do Novo Banco é uma “machadada grave” no princípio da confiança que deve haver no sistema bancário. Para ele, não faz sentido a publicação de “forma acrítica” da tal lista, sobretudo num contexto de uma “situação extremamente polémica” do NB.

Presidente da CBB: Divulgação da lista de clientes do Novo Banco é uma “machadada grave” na confiança do sistema bancário

Belarmino Lucas, reagia assim à publicação, esta quinta-feira, por um jornal da praça, de uma lista de empresas e pessoas singulares “devedoras” do Novo Banco.O mesmo jornal escreveu que teve acesso àquelas informações através de um “documento do Ministério das Finanças”.

Contactado pela Inforpress, a partir da Cidade da Praia, o primeiro responsável da CCB deixou transparecer que com esta situação se perde “uma boa parte de confiança” nas instituições cabo-verdianas.

“Isto tem um risco sistémico porque o sistema financeiro, particularmente o bancário, o elemento confiança é absolutamente piramidal”, enfatizou, sublinhando ainda que a lista dos clientes com os respectivos montantes dos créditos são “informações sujeitas ao sigilo bancário, que é uma questão de lei”.
Segundo ele, estas informações só podem ser divulgadas mediante “autorização do próprio cliente ou então por determinação judicial”. Na sua opinião, se está perante uma “machadada grave” no princípio da confiança que deve haver no sistema bancário.“Não sabemos quando que, a qualquer momento, pode aparecer uma outra lista relativamente a um outro banco”, sublinhou, dizendo que isto vai fazer “correr muita tinta”.

Para o presidente da CCB, é “normal” que uma pessoa tenha um crédito num banco.“Há milhares e milhares de cabo-verdianos que têm créditos, por exemplo de habitação, junto dos bancos e que pagam todos os meses as suas prestações”, afirmou, acrescentando que para todos os efeitos, nomeadamente jurídicos, são “devedores cumpridores”.

Espera que “sejam apurados” todos os factos relativos ao Novo Banco, assim como as responsabilidades pelo “descalabro” desta instituição bancária.
O ministro das Finanças, Olavo Correia já garantiu que os culpados pela “deterioração” da situação financeira do Novo Banco, que pode custar ao Estado 1.800.000 contos e mais de 60 postos de trabalho, serão responsabilizados.

Os accionistas do NB e que têm de suportar essa perda são, o Estado de Cabo Verde que tem uma participação de 42,33%, o Instituto Nacional de Previdência Social (INPS - 28,28%), a CECV (11,76%), os Correios de Cabo Verde (7,35%), a IFH (7,35%) e o Banco Português de Gestão (2,94%).

Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau