SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Polémica concurso Mini Miss Infantil Praia: organização diz que nunca teve intenção de expor corpo das crianças 12 Julho 2017

A organização Mini Miss Beleza Infantil praia 2017, veio ao público esclarecer de que “em momento algum teve intenção de realizar um concurso onde as crianças veriam expostas os seus corpos como de forma mal-intencionada alguém em São Vicente espalhou de forma incompreensível e com interesses obscuros deixou transparecer”. Segundo um comunicado da imprensa assinada, pela Maria Isabel Tavares Afonso, a sua organização agiu de boa-fé, nunca com o propósito de pôr em causa a integridade e o bem-estar das crianças. “Aliás esses desígnios são os propósitos das nossas acções”, garante a mesma fonte. Assim, ameaça com a justiça para repor a verdade dos factos, o bom nome dos organizadores e pelo facto da pessoa em causa envolver negativamente o ICCA neste evento”.

Polémica concurso Mini Miss Infantil Praia: organização diz que nunca teve intenção de expor corpo das crianças

Numa nota de imprensa chegada à nossa redacção “a organização do evento recebeu com estupefacção e estranheza a noticia através das redes sociais e da comunicação social a informação de que alguém em São Vicente espalhou de forma incompreensível e com interesses obscuros de que ia se realizar um concurso de miss infantil onde iam ser expostos publicamente corpos de crianças. A organização tem um projecto de realização de colónia de férias para crianças onde pretende realizar actividades de ocupação dos tempos livres das crianças com eventos lúdico – culturais adaptados às crianças e permitindo que as mesmas desenvolvam actividades saudáveis” .

Aliás, segundo diz, “o projecto já foi apresentado ao mais alto nível ao ICCA que já deu o seu aval para avançar. Aproveitamos o presente momento para transmitir nas redes sociais e na comunicação social todo o conteúdo do projecto para realização dessas actividades. Assim poderão tirar as vossas conclusões se houve ou não intenção da nossa parte em expor corpos de crianças como alguém sem conhecimento do projecto quis deixar falsamente entender. Pensamos que não devemos acreditar logo à primeira em tudo aquilo que uma pessoa qualquer coloca no facebook. Repudiamos esse tipo de acções”.

Os responsável do evento diz que ficou mais espanta com “o facto da pessoa que lançou esse boato nunca sequer entrou em contacto com a organização para se inteirar de facto em que consistia esse evento e nem sequer conhece ninguém da que pretendia organizar o evento”.

Para a mesma fonte, sentiu-se “o impacto negativo dessa desinformação maldosa e mal-intencionada lançada de São Vicente por um individuo que já está bem identificado e que não conhece os meandros que o evento tinha, por isso, a promessa é accionar à justiça para repor a verdade dos factos, o bom nome dos organizadores e pelo facto da pessoa em causa envolver negativamente o ICCA neste evento”.

Maria Isabel Tavares Afonso aproveita a ocasião para esclarecer aos internautas, a comunicação social de que em momento algum teve intenção de realizar um concurso onde as crianças veriam expostas os seus corpos como de forma mal-intencionada alguém deixou transparecer.

ICCA aceita projecto com actividades de ocupação dos tempos livres das crianças

A organização tem um projecto de realização de colónia de férias para crianças onde pretende realizar actividades de ocupação dos tempos livres das crianças com eventos lúdico – culturais adaptados às crianças e permitindo que as mesmas desenvolvam actividades saudáveis. O Projecto já foi apresentado ao mais alto nível ao ICCA que já deu o seu aval para avançar. Aproveitamos o presente momento para transmitir nas redes sociais e na comunicação social todo o conteúdo do projecto para realização dessas actividades. Assim, poderão tirar as vossas conclusões se houve ou não intenção da nossa parte em expor corpos de crianças como alguém sem conhecimento do projecto quis deixar falsamente entender. Pensamos que não devemos acreditar logo à primeira em tudo aquilo que uma pessoa qualquer coloca no facebook”.

No entender da organização do evento, sempre teve a intenção de “proporcionar às crianças da Praia um momento de lazer saudável para ocuparem os seus tempos livres. Aliás, os pais ao virem o projecto concordaram com a ideia e subscreveram-na”

Esclarecem ainda que que o ICCA não estava a par do projecto no momento em que a notícia foi propalada nas redes sociais. Porém, a organização apenas lamenta o facto de que não foi ouvida logo que a notícia foi publicada nas redes sociais e pelo facto de as autoridades terem condenado o evento sem terem conhecimento prévio do que se tratava e sem ter em conta um procedimento administrativo competente no sentido de serem averiguados os factos e sem ser respeitado o princípio do contraditório e da audiência prévia da organização para prestar os devidos esclarecimento, antes de se fazer a condenação pública do evento.

ICCA posicionou-se contra realização da “mini miss beleza infantil praia 2017”

Recorde-se que, na sequência de informações divulgadas nas redes sociais e nos jornais online sobre o concurso “mini miss beleza infantil praia 2017”, o Ministério da Família e Inclusão Social, através do Instituto Cabo-verdiano da Criança e Adolescente, ICCA, reagiu à noticia, posicionando-se contra a realização desse evento em Cabo Verde.

Em comunicado de imprensa, o ICCA - instituição pública encarregue de promover e executar a política governamental para a proteção e defesa dos direitos da Criança e do Adolescente - esclarece que só teve conhecimento desse concurso por volta das 12 horas de segunda-feira,13 de junho. Sublinha que não só é contra a realização desse concurso como também (é contra) de outros eventos do tipo, “pelo impacto que poderão ter na vida das crianças/meninas”. Por isso, repudia veementemente a forma como o bom nome da instituição foi envolvido neste caso.

O documento Esclarece ainda que, tendo em conta a sua missão, o concurso “mini miss beleza infantil praia 2017 não tem o aval do ICCA”, que, a título de exemplo, torna público que, no passado dia 29 de maio do corrente ano, deu parecer negativo à realização do mesmo tipo de evento em Santa Catarina de Santiago. Enquadrado agora na Colónia de Férias, o ICCA acaba agora de dar o seu aval para se avançar com o projecto.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau