OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Juventude insatisfeita e Governo em xeque 09 Agosto 2017

Ninguém é obrigado a prometer! Promete porque quer! Mas quem promete é obrigado, sim, a cumprir a promessa que fez! O Governo deve estar atento, porque começa a ficar em xeque. E, se não garantir possibilidades reais para a juventude, os jovens, em 2021, contribuirão energicamente para o Xeque-Mate ao Executivo….. E, fim do jogo!

Por: Carlos “Calicas” Tavares

Juventude insatisfeita e Governo em xeque

No dia 12 de Agosto comemora-se o dia internacional da Juventude. Uma data para lembrar as conquistas e desafios associados à juventude. Jovens que não querem ser apenas o futuro, mas, sobretudo, partes ativas do presente, para realizarem o seu potencial, o seu talento, as suas ideias e seus sonhos.

Os jovens representam mais de metade da população de Cabo Verde. E, nas próximas décadas, ainda, a juventude continuará a ser a maior parcela da população nacional. E, simultânea e felizmente, cada vez mais sonhadora e exigente.
Jovens que querem mais que um refogado de promessas políticas e encontros para ouvirem o discurso redondo de que são agentes de mudança e desenvolvimento, enfeitados com o slogan da prometida felicidade.

Esses Jovens querem saber, concretamente, quais são as medidas do Governo para aumentar as suas oportunidades de estudo e de formação, e que políticas serão desenvolvidas para potenciar a sua entrada no mercado de trabalho.

Esses Jovens querem saber onde param os 45.000 empregos prometidos, à ordem de 9.000 empregos por ano, e que, ainda, não se fizeram sentir, indo a governação já no seu segundo ano de Mandato.

Esses Jovens deram um voto de confiança no Projecto “Nha Partido é Cabo Verde”.
Mas, as bolsas de estudo para o ensino superior, estão a diminuir a um ritmo alucinante (de 800 para 500 bolsas, num único ano letivo), os subsídios para estudantes de famílias carenciadas já passaram para metade (de cerca de 700 beneficiários, já se passou para cerca de 400 beneficiários), e, apesar de todo o discurso em torno da Despartidarização da Administração Pública, o que se tem assistido é à ocupação de todos os cargos por parte de pessoas próximas do Partido que governa Cabo Verde, sem que nenhum concurso público tenha sido lançado.

Isso é grave! A esperança desce a pique e as preocupações não são para menos. Os jovens fazem parte do discurso do Governo, mas as ações para garantir, efetivamente, a sua felicidade escasseiam, frustrando as suas potencialidades e expectativas numa fase crucial das suas vidas.

Os jovens estão vulneráveis, preocupados com a violência e criminalidade, com falta de apoios sociais e bolsas de estudos, cada vez mais raras. Não há boas perspetivas para os jovens licenciados e profissionalmente preparados, que anseiam por oportunidades num mercado cada vez mais ínfimo, e estão perante a situação desesperadora de não conseguirem se sustentar a si e à sua família. Andam à deriva!

Aumenta a inquietação, a impaciência e a indignação dos jovens face a carência de sinais efetivos para a resolução dos seus problemas por parte do governo, que já governa há dezasseis meses. A inquietação é sentida em todos os lados, incluindo nas redes sociais, onde a juventude, cada vez mais conectada, expressa os seus sentimentos, as suas opiniões.

Os jovens lamentam o facto de o governo não quer ver para todos os lados, e estão com mágoa por as coisas não estarem a sair como imaginavam. O discurso do governo de estar a arrumar a casa já não lhes convence.

“Dja sta bom di desculpa!” é o que mais se ouve entre os jovens, hoje em dia!
Uns vaticinam um caminho certo - um beco sem saída para a juventude - já que não estão a ver nada a melhorar com o atual Executivo, anunciando a precariedade e uma vida sem soluções de futuro. Outros apelam à manifestação, pois querem outro ritmo, outro ritual, respostas concretas e não quadros pintados e discursos floreados.

Ninguém é obrigado a prometer! Promete porque quer! Mas quem promete é obrigado, sim, a cumprir a promessa que fez! O Governo deve estar atento, porque começa a ficar em xeque. E, se não garantir possibilidades reais para a juventude, os jovens, em 2021, contribuirão energicamente para o Xeque-Mate ao Executivo….. E, fim do jogo!

Não se pode ignorar que “há nos jovens uma energia inesgotável capaz de provocar as maiores mudanças”. Isto, claro, se a admirável memória curta e a ilusão não triunfarem!

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau