SOCIAL

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Juventude do PAICV lança debate sobre direitos de LGBTI: Casamento entre pessoas do mesmo sexo gera discussões acesas 12 Julho 2017

A Juventude do PAICV abre o debate sobre os direitos de LGBTI -Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transsexuais e Interssexuais, com uma reunião que a sua Direção Nacional teve lugar, no dia 07, com representantes da Associação de LGBTI de São Vicente e Praia. Os Jotas reconhecem, no entanto, que o mais polémico, como acontece em todo o mundo, tem sido o debate sobre a permissão de casamento entre pessoas do mesmo género.

Juventude do PAICV lança debate sobre direitos de LGBTI: Casamento entre pessoas do mesmo sexo gera discussões acesas

« Para a Juventude do PAICV (JPAI), a igualdade de direitos é uma conquista que deverá ser promovida por todos, impondo-se a abertura de um amplo debate na sociedade civil, para a busca de consensos e a construção de caminhos e políticas que visam a construção de um país justo e inclusivo onde todos gozam dos mesmos direitos e deveres e com iguais oportunidades. Esta será uma grande vitória para a democracia. Esta agradável conversa marca a estaca zero da contribuição da JPAI para que a sociedade cabo-verdiana seja uma referência no que toca ao respeito pelas liberdades», fundamenta em comunicado a organização.

A Juventude tabarina lembra que a homossexualidade e todos os seus meandros tem sido motivos de inúmeras posições e profundos debates no mundo todo. Realça que uma das discussões mais acesas que ora tem sido levada a cabo é o casamento entre os homossexuais, tendo sido a Holanda o primeiro país a legalizá-lo em 2001, seguido por outros como a Bélgica, Espanha, Noruega, Suécia, Portugal, Islândia, Dinamarca, França, Grã-Bretanha, Luxemburgo, Irlanda e Finlândia. «No Canadá, Uruguai, Argentina, Brasil e Colômbia para além do casamento entre pessoas do mesmo sexo, a adoção também já é permitida. Isso demonstra que os países têm avançado nos direitos para pessoas da comunidade LGBT, mas ainda há muito a se alcançar».

Revela os jotas do maior partido da oposição que, na África, o cenário é mais preocupante, uma vez que a homossexualidade é criminalizada em cerca de 30 países. « Mas, no entanto, temos um país que tem dado importantes passos para a melhoria de vida da comunidade LGBTI, que é o caso da África do Sul que legalizou o casamento entre pessoas do mesmo sexo e a adoção em 2006», destaca.

Tendo isto em vista, a juventude do PAICV diz acreditar que Cabo verde, enquanto país tolerante e exemplo em África no que toda aos direitos e liberardes dos cidadãos, pode também dar um passo importante nesse sentido. «Acreditamos que Cabo Verde, enquanto país tolerante e exemplo em África no que toca aos direitos e liberdades dos cidadãos, deverá dar continuidade às políticas públicas que visam reforçar os índices que garantam uma sociedade cada vez mais igualitária, à altura das aspirações de cada cabo-verdiano, independentemente da sua orientação sexual, crença, escolha partidária, condição social ou outras formas de discriminação e violação de liberdades fundamentais, conforme estabelece o nº 2 do artigo I da Constituição da República», avança a organização juvenil tambarina.
O primeiro-ministro cabo-verdiano disse hoje(11) que o casamento homossexual não está na agenda política do Governo, classificando como "opinião pessoal" a posição do secretário-geral do partido no poder (MpD), Miguel Monteiro, contrária ao casamento gay.
Entretanto, primeiro-ministro cabo-verdiano disse hoje(11) (ver este jornal) que o casamento homossexual não está na agenda política do Governo, classificando como "opinião pessoal" a posição do secretário-geral do partido no poder (MpD), Miguel Monteiro, contrária ao casamento gay.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau