MUNDO INSÓLITO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Noiva singular: Laura decidiu que ‘casamento para todos’ inclui consigo própria 30 Setembro 2017

A noiva, no seu vestido branco com brilhantes Swarovski, véu de tule e buquê na mão, avançou, por entre os muitos convidados, ao som da marcha nupcial de Mendelssohn. A italiana Laura Mesi cumpriu o seu sonhou de casar como manda a tradição, de vestido, véu e grinalda – mas sem noivo.

Noiva singular: Laura decidiu que ‘casamento para todos’ inclui consigo própria

A singularidade do nome “Laura” parece comprovada mais uma vez. “Laura”, da musa cantada na morna há gerações, entre nós. “Laura”, a de Petrarca, “anjo eleito”, “alma cidadã do céu”. E agora, a Laura Mesi que aos 40 anos se torna a primeira noiva singular da história mundial.

A cerimónia nupcial de sonho reuniu cento e cinquenta convidados, o copo de água teve um pudim de cinco andares. A aliança no singular.

Laura é professora de ‘fitness’ e contou ao Corriere della Sera que, após uma bela história de amor de doze anos sem o final feliz, tomou a decisão: “Caso-me comigo mesma”. Este passo foi bem pensado, contou ela, e não nasceu da desilusão ou renúncia.

“Tenho tantos amigos e tenho uma relação maravilhosa com os homens. Simplesmente, compreendi que estar bem comigo mesma é a dimensão própria da minha felicidade e realização”.

Laura contou que há cinco anos teve de reconhecer, mesmo custando-lhe, que viver com um homem “não era o seu caminho”. Daí ter decidido viver sozinha. “Mas há dois anos compreendi que não me bastava ficar solteira. Queria casar, mas comigo, eu sozinha, comigo”.

Família e amigos aconselharam-na a pensar bem

Romper com a tradição de milénios que deu forma ao casamento não foi um passo fácil. “Os meus pais, a família, os amigos deram-me conselhos, repetiram mil vezes que eu tinha de pensar bem. Mas eu eliminei todas as dúvidas”.

Para a noiva singular, esta é uma conquista da maturidade. “Com quarenta anos senti-me forte para saber como devo viver a minha vida”.


Sem valor legal ou religioso

O matrimónio singular, com centena e meia de convidados, não foi realizado por um representante da lei nem da igreja, mas sim por um amigo. À luz da lei, não existe, mas Laura afirma: “Creio firmemente que o amor começa em nós. Assim, posso viver um conto de fadas mesmo sem o meu príncipe”.

c/Corriere dela Sera
http://milano.corriere.it/notizie/cronaca/17_settembre_21/laura-mesi-sposa-single-lombardia

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau