LUSOFONIA

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Guiné-Bissau: Paulo Sanhá mantém-se no Supremo Tribunal da justiça 14 Abril 2017

Guiné-Bissau: Paulo Sanhá mantém-se no Supremo Tribunal da justiça

O Supremo Tribunal de Justiça da Guiné-Bissau voltou a eleger, nesta quinta-feira,13, o novo presidente deste órgão. Paulo Sanhá, actual presidente, obteve 11 votos contra os nove de Saido Baldé, antigo ministro da Justiça. Analistas locais já se respiram de alívio com esses resultados, por considerarem que, diante da crise política que se vive no país, vão garantir a continuidade da separação do poder judicial do poder político.

Guiné-Bissau: Paulo Sanhá mantém-se no Supremo Tribunal da justiça

Segundo a imprensa local, Paulo Sanhá foi reeleito numa votação renhida: obteve 11 votos contra os 9 que o seu adversário Saido Baldé, ex-ministro da Justiça, conseguiu atingir.

Para vice-presidente foi também reeleito o juiz Rui Nene, com 11 votos, contra 09 somados pelo também concorrente ao mesmo posto juiz Fernando Té. Ou seja, a dupla Paulo Sanha/Rui Nene viu o seu mandato de 4 anos reconfirmado à frente do Supremo Tribunal de Justiça da Guiné, enquanto a dupla Saido Baldé/Fernando Té somou nove votos, tendo com isso o projecto deles ficado pelo caminho.

A fazer fé nos comentários através de redes sociais e órgãos da comunicação social, analistas locais já se respiram de alívio com esses resultados. Isto por considerarem que, diante da crise política que se vive no país, vão garantir a continuidade da separação do poder judicial do poder político na Guiné-Bissau.
Conforme a Rfi, o candidato à presidência do Supremo Tribunal derrotado, Saido Baldé, diz ter sido um bom exercício democrático e que vai tirar as devidas ilações da sua derrota. Mas promete colaborar com a nova direcção do STJ eleita.

Já Paulo Sanhá afiança que a sua reeleição é para continuar o trabalho de separação do poder judicial do poder político.

Conforme os inscritos, votaram 11 juízes conselheiros afectos ao Supremo Tribunal de Justiça e mais nove juízes desembargadores afectos ao Tribunal de Relações da Guiné Bissau.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau