ACTUALIDADE

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Governo declara abertura para assimilar propostas sobre o aumento salarial para 2018 07 Setembro 2017

O Governo declarou-se hoje aberto para discutir com os parceiros sociais as propostas sobre o aumento salarial para ano de 2018 no âmbito da preparação do Orçamento de Estado (OE).

Governo declara abertura para assimilar propostas sobre o aumento salarial para 2018

O assunto esteve em análise hoje na reunião do Conselho de Concertação Social que tinha por objectivo apresentar aos parceiros sociais as grandes linhas do Plano Estratégico de Desenvolvimento Sustentável (PEDS) e as directrizes do Orçamento de Estado (OE) para 2018.

A pretensão dos sindicatos é de conseguir um aumento salarial na ordem dos 2,5% conforme proposta da União Nacional dos Trabalhadores Cabo-verdianos – Central Sindical (UNTC-CS).

Em declarações à imprensa no final do encontro, a directora nacional do Planeamento, Carla Cruz, que foi a porta-voz do Governo nessa reunião, disse que tendo em conta a saída do cenário de deflação, o ajustamento salarial poderá ser discutido.

“O senhor ministro já avançou que ainda se está a finalizar o processo de Orçamento do Estado e algumas propostas poderão ainda ser assimiladas no âmbito dessa elaboração”, disse.

Há vários anos que os trabalhadores cabo-verdianos, mormente os funcionários públicos, não tiveram aumento salarial. No último ano o novo Governo justificou a não actualização salarial com a deflação que se verificou em 2016. A previsão para a taxa de inflação para 2017 é positiva segundo Carla Cruz o que deixa margem para as discussões.

Quanto às grandes linhas orientadoras do OE para 2018, Carla Cruz destacou as soluções apresentadas para efectivamente se ter financiamento para a economia e falou concretamente da unificação do mercado interno.

Conforme salientou, para já a aposta é nas soluções para o sector dos transportes inter-lhas, particularmente os transportes marítimos.

“Outros programas e grandes medidas vão também ser tomadas para melhorar o clima de investimento. Aqui tem a ver não só com as reformas fiscais, mas também promover todas as reformas ligadas à melhoria do ambiente de negócios”, disse adiantando que haverá também medidas concretas para a valorização do potencial das ilhas.

Neste particular adiantou que a ideia é entrar no processo da regionalização, mas numa óptica de se aproximar dos municípios e trazer medidas concretas, como por exemplo a criação dos planos de desenvolvimento regional e as sociedades de desenvolvimento regional que deverão permitir o reforço do diálogo entre o poder central e o poder local.

“Tendo essa proximidade será mais fácil criar soluções para respondermos aos grandes desafios de desenvolvimento de Cabo Verde”, salientou adiantando que tanto no OE como no âmbito do PEDS vão ser disponibilizadas verbas para a capacitação das ONG e das associações no sentido de elas também ajudarem nessa meta da criação de novos postos de trabalho. Fonte: Inforpress

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau