NOS KU NOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Cidade Velha quer “beber experiência” das cidades património da Macaronésia em matéria de dinamização comercial 28 Agosto 2017

O município de Ribeira Grande de Santiago (Cidade Velha) quer “beber da experiência” das outras cinco cidades Património da Humanidade da Macaronésia em matéria de dinamização comercial, com intuito de promover o crescimento e desenvolvimento da Cidade Velha.

Cidade Velha quer “beber experiência” das cidades património da Macaronésia em matéria de dinamização comercial

A informação, segundo a Inforpress, foi avançada pelo vereador do Turismo, Cultura e Economia do Município de Ribeira Grande de Santiago, Domingos Mendes, à margem do workshop enquadrado nas festas de São Roque “encontro transnacional de intercâmbio de boas práticas em matéria de dinamização comercial”, promovido por cinco cidades que integram a Rede de Cidades Património Mundial da Macaronésia – CITY 2020.

Fazem parte desta rede denominada CITY 2020 cinco cidades da Macaronésia, nomeadamente Angra do Heroísmo (Açores), La Laguna (Canárias), Saint Louis e Gorée (Senegal) e Cidade Velha (Cabo Verde).

“O encontro tem como principal objectivo dinamizar as economias locais, através do comércio, da melhoria de produtos turísticos, e , fundamentalmente, tornar essas cidades Património da Humanidade no centro comercial dos seus territórios, para que os patrimónios a partir da dinamização comercial e das economias locais, possam alavancar as outras localidades do território”, explicou à agência cabo-verdiana de noticias o vereador Domingos Mendes.

De acordo com a mesma fonte, o encontro vai ter como foco a “troca de experiência” em matéria de dinamização comercial, sector que a edilidade diz ter estado a investir “fortemente”, com formações a nível artesanal, com o instituto de oferecer cada vez mais produtos artesanais e turísticos.

A pensar nisso, a autarquia quer aproveitar as “boas práticas” das outras cidades para dinamizar o turismo, o comércio e a economia locais. “Cidade Velha a nível das outras cidades está um pouco a trás. Por isso, este encontro é de capital importância para nós, servindo para esta troca de experiência, servindo para aproveitar as boas práticas dessas cidades património, e a partir daí, alavancar e melhorar ainda mais a nossa prestação”, sublinhou.

Sublinha a Inforpress que este melhoramento, explicou, passa pela salvaguarda e revitalização dos monumentos, promoção do comércio local, no sentido de proporcionar mais rendimento às pessoas a partir do comércio e dos monumentos.

O autarca adiantou, entretanto, que isto requer a participação da população, que tem que se sentir “dono do património”, para, conhecendo-o, poder para salvaguardá-lo e contribuir para que a cidade Património da Humanidade potencialize os seus ganhos.

Por seu turno, a vereadora da Cultura, Economia, Empresa e Emprego, de Laguna, Canárias, Marìa José Castañeda, disse que o objectivo da rede CITY 2020 é “unir” as cinco cidades em rede, para que em conjunto possam “revitalizar” as suas acções a nível comercial e turístico.

Segundo ainda a Inforpress, o outro objectivo, segundo apontou a mesma fonte, é fazer “troca de experiências” para o beneficio mútuo, com foco na consciencialização, no que tange às suas responsabilidades, para que possam manter o título de Património da Humanidade.

Marìa José Castañeda , que admitiu que as outras cidades têm “um pouco mais de experiência” sobre a dinamização do Património da Humanidade, tendo em conta que foram elevadas primeiro que a Cidade Velha, assegurou que estão aptos para ajudar o “Berço da cabo-verdianidade ” em matéria de dinamização comercial e em outros aspectos, conclui a fonte que vimos citando.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau