REGISTOS

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Chanceler alemã Angela Merkel foi eleita a mulher mais poderosa do mundo em 2017 pela sétima vez consecutiva 05 Novembro 2017

A chanceler alemã, Angela Merkel, foi eleita a mulher mais poderosa do mundo em 2017 pelo sétimo ano consecutivo, de acordo com um anúncio feito pela revista Forbes, na última quinta-feira (2).

 Chanceler alemã Angela Merkel foi eleita a mulher mais poderosa do mundo em 2017 pela sétima vez consecutiva

"Neste ano, Angela Merkel venceu uma eleição acirrada que marcou a entrada do partido [populista de direita] Alternativa para a Alemanha (AfD) no Parlamento alemão", disse a revista em seu comunicado oficial.

Segundo a revista, Merkel "terá que segurar firme o leme da União Europeia (UE) enquanto enfrenta as tempestades do Brexit [saída do Reino Unido da UE] e o crescente sentimento anti-imigração na Europa".

Porém, "o poder de Merkel ainda é sólido graças a uma baixa taxa de desemprego e a um forte crescimento da economia alemã", acrescenta a Forbes .

Além da chanceler, a lista de personalidades inclui 100 mulheres que se destacaram durante o ano e cita também a primeira-ministra britânica, Theresa May, que aparece em segundo lugar. "Agora, May tem que manter uma coalizão governamental frágil e conduzir o país rumo ao Brexit até 2019", destaca o texto.

A ex-candidata do partido Democrata nos Estados Unidos, Hillary Clinton, que ficou na segunda colocação no ranking de 2016, caiu para a 63ª posição depois de perder as eleições presidenciais para Donald Trump.

Já a filha do magnata, Ivanka Trump, que atua como conselheira da Casa Branca, ficou em 19º lugar. Por sua vez, a embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley, garantiu a 43ª posição.

Confira a lista com as 10 mulheres mais poderosas:

1 - Merkel, chanceler alemã

2 - Theresa May, primeira-ministra britânica

3 - Melinda Gates, copresidente da Fundação Bill & Melinda Gates

4 - Sheryl Sandberg, chefe de operações do Facebook

5 - Mary Barra, CEO da General Motors

6 - Susan Wojcicki, CEO do Youtube

7 - Abigail Johnson, presidente da Fidelity Investiments

8 - Christine Lagarde, diretora do Fundo Monetário Internacional (FMI)

9 - Ana Patrícia Botín, presidente do Grupo Santander

10 - Ginni Rometty, CEO da IBM.

Brasileiras

Na lista que deixou Angela Merkel na primeira posição, nenhuma mulher brasileira foi citada. Há alguns anos, a ex-presidente da República Dilma Rousseff entrou na lista da Forbes . Em 2013, a petista ficou em segundo lugar nessa mesma lista. Seu nome saiu do ranking das 100 mais poderosas no ano passado. Fontes: iG com Agência Ansa.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau