OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

Carta aberta do líder do PP ao Sr Primeiro-ministro, Dr. José Ulisses Silva: A aprovação social do seu primeiro ano de governação é fraca 18 Julho 2017

Entre as expectativas criadas com as promessas que fez e a sua governação efectiva resulta numa frustração social, cuja implicação é o desespero, a violência e a indignação.

Carta aberta do líder do PP ao Sr Primeiro-ministro, Dr. José Ulisses Silva: A aprovação social do seu primeiro ano de governação é fraca

Exmo. Sr Primeiro-ministro. Ontem (16), estivemos no Concelho de Santa Cruz - Pedra Badejo - a fazer contactos com os cidadãos daquela localidade.

Infelizmente, a aprovação social do seu primeiro ano de governação é fraca. É que colocou a fasquia muito alta e, como deve saber, a equação da aprovação ou desaprovação de um governo tem como factores as promessas que fez na campanha eleitoral e o nível de expectativa social que criou com as mesmas promessas versus a realidade prática da sua governação.

Assim o gap existente entre as expectativas criadas com as promessas que fez e a sua governação efectiva resulta numa frustração social, cuja implicação é o desespero, a violência e a indignação.

Quero crer, Senhor Primeiro Ministro, que quando disse, em jeito de desabafo, que não pedia aos cabo-verdianos nem 10 e, muito menos 15 anos, que pedia apenas 5 anos para provar que Cabo Verde tem solução, poderia estar a confundir que governar Cabo Verde seria como governar a Cidade da Praia.

Custa-nos dizer-lhe que mesmo na governação da cidade da Praia o seu sucesso é relativo. Pelas obras mais visíveis, com impacto na sua reeleição, fazendo a rua pedonal e construindo algumas infra-estruturas nos locais mais visíveis, organizando a limpeza da cidade, uma actividade que o seu antecessor tinha deixado num nível medíocre, aqui teve sucesso, mas sem por na balança o trad-off entre os avultados endividamento municipal que fez – um dos municípios mais endividados de Cabo Verde.

Com efeito, deixou uma mão cheia de nada, quando pensarmos a cidade da Praia a longo prazo. Uma cidade que cresceu desordenadamente, durante os 8 anos do seu mandato, mais de 11 bairros espontâneos nasceram, fruto da sua falta de visão a longo prazo. Uma cidade violenta e sem espaços de recriação e não amiga do ambiente.

É por este caminho que tem governado o nosso país, Sr. Primeiro-ministro, com muita conversa e pouca realização. Uma governação que faz tábua rasa da CRCV, quando, hoje, até os chefes nos níveis mais residuais da Administração Publica são recrutados com base no cartão da militância do MPD. Mas quanto a estes detalhes, deixo para a próxima carta.

Atenciosamente,

Praia, 17 de Julho de 2017

Amândio Barbosa Vicente – Líder do PP

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau