OPINIÃO

A SEMANA : Primeiro di?rio caboverdiano em linha

A« exposição» 14 Setembro 2017

Com vários recursos tecnológicos à disposição, os homens não medem esforços no sentido de fazer propagandas permanentes de si mesmos. Estar permanentemente presente e “brilhar o máximo” entre os seus semelhantes, parecem ser o lema fundamental daqueles que fazem da exposição de si um modo de vida.

Por: José João Neves Barbosa Vicente *

A« exposição»

Se a exposição dos homens fosse algo útil e construtivo, a sociedade atual já teria resolvido todos os seus problemas. Em nenhum outro período da história da humanidade se viu tanta exposição. Com vários recursos tecnológicos à disposição, os homens não medem esforços no sentido de fazer propagandas permanentes de si mesmos. Estar permanentemente presente e “brilhar o máximo” entre os seus semelhantes, parecem ser o lema fundamental daqueles que fazem da exposição de si um modo de vida.

Mas as propagandas permanentes que os homens insistem em fazer, não têm necessariamente a intenção de apresentar nem as coisas e nem eles mesmos como verdadeiramente são, mas sim como querem que sejam vistos e apreciados pela multidão. A sociedade tornou-se um local de disputas por holofotes; e enquanto as pessoas se ludibriam com essas disputas, as verdadeiras ações e intenções dos homens são cuidadosamente escondidas ou camufladas. O brilho dos holofotes não faz de nenhum indivíduo um ser transparente e autêntico.

A sociedade parece atordoada com o desfile frenético dos homens em busca da exposição permanente do seu “melhor ângulo” ou da sua “melhor imagem”, sem qualquer preocupação com o modo como isso será feito. O “melhor ângulo” ou “melhor imagem”, no entanto, não quer dizer necessariamente o verdadeiro ângulo ou a verdadeira imagem. A exposição excessiva e permanente do indivíduo pode significar um modo seguro e perfeito de se esconder.


*Filósofo, professor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e Editor da GRIOT: Revista de Filosofia.

Os artigos mais recentes

100% Prático

publicidade






Mediateca
Cap-vert

Uhau

Uhau